Tags

, , ,

Os vereadores Anselmo Neto (PP) e José Crespo (DEM) protagonizaram um bate-boca na sessão extraordinária da Câmara Municipal de Sorocaba na manhã desta sexta-feira (20).

A briga aconteceu porque Crespo tentou adiar a votação de um projeto de autoria de Anselmo, que altera um item da Lei Orgânica Municipal. Após a discussão, o projeto foi votado e aprovado em primeira discussão.

O democrata criticou o fato de que a proposta do colega beneficiaria o ex-prefeito Paulo Mendes, que teve seus direitos políticos cassados neste ano.

Na visão de Crespo, o projeto é uma manobra para que Paulo Mendes possa assumir um cargo público.

Pelo texto da propositura, somente seria impedido de ter cargo de confiança quem for condenado pela Justiça por improbidade administrativa, com lesão ao erário público (o que não é o caso do ex-prefeito).

A declaração de Crespo irritou Anselmo Neto, que negou que o objetivo de sua proposta seja beneficiar Paulo Mendes.

Segundo ele, o projeto foi apresentado para corrigir o que considera um erro na Lei Orgânica atual e tem por base a Lei da Ficha Limpa. “Este projeto não é para beneficiar o Paulo Mendes. O vereador Crespo tem viagem mental, insiste num ponto e não sai disso”, disse Anselmo.

Em sua resposta, Crespo afirmou que o colega teria admitido “numa rodinha” que a motivação da proposta era, sim, auxiliar o ex-prefeito. “Como líder cristão, ele deveria falar a verdade. As forças ocultas estão muito intensas sobre o mandato de Anselmo”, afirmou.

Ainda segundo o vereador do DEM, o presidente da Câmara, José Francisco Martinez (PSDB), teria ouvido a declaração de Anselmo. Martinez não admitiu e nem negou o fato.

O clima esquentou ainda mais entre os vereadores e Anselmo Neto e Crespo bateram boca. Depois da confusão, os vereadores negaram, por 15 votos a 5, a retirada do projeto da pauta.

Mais calmos, os dois vereadores chegaram a um acordo depois de terem sido apreciados todos os demais projetos.

A propositura de Anselmo Neto foi aprovada por 15 votos a 4 em primeira discussão e o próprio vereador a retirou da pauta na segunda discussão. O tema deve voltar a ser debatido numa nova sessão extraordinária, marcada para segunda-feira (23), às 9h.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios