Tags

Iniciativa fundamental para a manutenção e melhoria da qualidade da água tratada distribuída na cidade, o trabalho de monitoramento das represas onde ocorre a captação de água bruta é uma rotina mantida pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba, por meio de uma equipe especialmente destacada para essa ação.

SAAESAAE

Denominado IQA – Índice de Qualidade da Água -, o programa desenvolvido pela autarquia envolve as represas de Itupararanga e Ipaneminha (sistema Estação de Tratamento de Água do Cerrado), Ferraz e Castelinho (sistema Estação de Tratamento do Éden) e o rio Sorocaba.

Nesses mananciais, a autarquia realiza coletas mensais da água e em seus laboratórios procede as análises integrantes do IQA, que incluem temperatura, oxigênio dissolvido, pH, demanda bioquímica de oxigênio, coliformes, nitrogênio, fósforo, sólidos, turbidez, alcalinidade, dureza, cloreto, ferro, manganês e microbiológico.

“Esse é um trabalho que envolve a dedicação e o comprometimento dos nossos funcionários, que têm a exata noção de sua importância e responsabilidade perante a população. Por meio dessa iniciativa, conseguimos monitorar a qualidade da água das represas em que fazemos a captação de água bruta para o tratamento e distribuição, e maio o rio Sorocaba, detectando possíveis intercorrências e aplicando medidas para corrigi-las, além de obtermos parâmetros para afinarmos o processo de tratamento em nossas estações”, explica o engenheiro Mauri Pongitor, diretor-geral do Saae.

Além desse trabalho mensal, a autarquia mantém ainda uma rotina diária nas ETAs “Dr. Armando Pannunzio” (Cerrado) e “Engenheiro Celso Eufrásio Monteiro” (Éden), coletando a água que chega nas unidades por meio das adutoras e realizando análises que incluem pH, cor, turbidez e flúor.

Esse trabalho rotineiro é completado com uma análise semestral, realizada por laboratório credenciado e contratado pela autarquia, quando coletas de água de todos os mananciais utilizados, e mais o rio Sorocaba, passam por análise completa, incluindo metais pesados, radioatividade e agrotóxicos.

Convênio de pesquisa com a Unesp

Na manhã desta quarta-feira (27), a autarquia deu início ao trabalho de campo de um convênio de pesquisa recentemente protocolado com o Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

O objetivo deste trabalho, de acordo com o diretor-geral Mauri Pongitor, está relacionado ao estudo dos sedimentos em suspensão nas represas do Ferraz/Castelinho (Éden) e Ipaneminha. “Por meio dessa parceria, teremos uma avaliação e quantificação da atual situação dos sedimentos que são carreados para esses mananciais, cujos resultados obtidos servirão de ferramenta para a gestão e o planejamento de intervenções necessárias nesses recursos hídricos”, explica.

A parceria Saae-Unesp envolve estrutura e funcionários da autarquia e o grupo de pesquisa de hidrometeorologia e gestão de recursos hídricos
do professor-doutor Manuel Enrique Gamero Guandique, com a colaboração da aluna de mestrado Tatiana Acácio da Silva, que desenvolve seu trabalho de pesquisa nessa área, intitulado “Avaliação da distribuição espacial de sedimentos nos reservatórios de abastecimento de água, da região metropolitana de Sorocaba”.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias