Tags

A reunião foi realizada no gabinete da prefeita Jaqueline Coutinho e contou com a presença dos secretários Flávio Chaves, de Relações Institucionais e Metropolitanas e Roberta Guimarães Pereira, de Assuntos Jurídicos e Patrimoniais, além de representantes do bairro Vila Rica, onde está implantado atualmente o Centro POP.

O motivo da audiência, solicitada pelo vereador Engenheiro Martinez (PSDB), foram os problemas causados nas proximidades da Ceagesp, desde a instalação do Centro POP – um programa do governo federal para dar assistência aos moradores de rua da cidade – que funciona dentro do SOS (Serviço de Obras Sociais).

Moradores relataram à prefeita que a comunidade do Vila Rica e adjacências enfrenta transtornos e violência desde a instalação do Centro POP, com a concentração de pessoas nas ruas, reunidas em grupos que consomem drogas durante o dia e à noite, efetuam furtos, sujam as vias públicas e brigam entre si.

“O Centro POP é dinheiro público usado para fomentar a proliferação do crime e a aglomeração de pessoas na rua, muitas delas vindas de outras cidades da região, sem nenhum resultado positivo. Além de pagar pelo serviço, a prefeitura ainda tem que disponibilizar funcionários para atuar no local”, reclamou a moradora.

Martinez explicou que é autor da Lei nº 11.768/18, que estabelece a necessidade de um RIVI (Relatório de Impacto de Vizinhança) antes da instalação dos Centros POPs no 1º Anel Viário, das Zonas Residenciais 1 e 2 e da Zona Comercial do município; determinação que não foi observada no ato da renovação do convênio este ano, o que será estudado pelo Jurídico da Prefeitura.

Ao final da reunião Martinez pediu à Jaqueline Coutinho que encerre o convênio que estabeleceu o serviço de assistência aos moradores de rua na cidade e sugeriu o investimento de recursos públicos num programa realmente eficaz, para proporcionar o retorno dessas pessoas à uma vida digna.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba