Tags

O vereador Rodrigo Manga (DEM) obteve o compromisso da Administração Municipal em buscar uma alternativa de trabalho para os cerca de 40 idosos que vendem cartões unitários de ônibus.

Eles serão prejudicados com a extinção desse tipo de passe, medida que será colocada em prática ainda em 2019. A Confirmação ocorreu na tarde desta terça-feira (8), na Câmara Municipal, durante reunião realizada por Manga, entre um grupo de idosos, a direção da Urbes – Trânsito e Transporte e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Renda (Sedetter), Robson Coivo.

A Urbes está trocando o sistema de emissão de bilhete unitário. O passe terá outro formato, impresso na hora e com validade de uma hora após a solicitação. O presidente da Urbes, Sérgio Pires, explicou que a mudança modernizará o sistema e implicará em economia de gastos na operacionalização. Porém, os idosos estão descontentes com a decisão, pois ficariam sem o ‘ganha pão’, uma vez que são cadastrados pela Urbes e autorizados a revender o cartão, recebendo 4% do valor.

Durante reunião, em comum acordo entre os participantes, ficou definido que o prazo final para a venda do cartão único está suspenso até que seja definida uma forma de atender esses idosos. Inicialmente, a medida começaria a vigorar em 30 de setembro, data que foi postergada para 30 de outubro e, agora, até no máximo o dia 31 de dezembro.

“Foi uma vitória essa decisão, mas a ideia é buscar uma solução rápida e definitiva. Uma comissão de cinco idosos foi montada para acompanhar os desdobramentos das ações da Urbes e da Sedetter”, comenta Manga.

Segundo Coivo, a ideia é capacitar esses idosos e torná-los empreendedores: “Vamos estudar a parte jurídica e ver a melhor forma de assisti-los. Não ficarão desamparados”.

Sérgio Pires adiantou que uma possibilidade é cadastrar e treinar esses idosos para revender bilhetes de Zona Azul, cuja margem de lucro é de 10%. “Isso já podem fazer agora. Basta o interessado ir à Rua Chile, 501, e fazer o cadastro. É uma opção, mas outras alternativas serão apontadas em parceria com a Sedetter”, destaca o presidente da Urbes.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba