Tags

A Prefeitura de Sorocaba marcou presença na Semana do Clima da América Latina e Caribe 2019 (LACCW), que acontece até sexta-feira (23) em Salvador (BA).

O representante sorocabano é o chefe da Divisão de Educação e Educomunicação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), Gentil Ramos César Júnior.

Ele participou do Workshop Nacional Urban-LEDS II, que custeou a participação do município, e apresentou o projeto de Eficiência Energética em prédios municipais de Sorocaba em busca de recursos para sua implantação.

Duas cidades serão selecionadas pelo Urban LEDS II e ganharão uma consultoria para aplicar recursos em escala piloto para implantação dos seus projetos. “Agradeço minha equipe pelo empenho e especialmente o Gentil, que está representando Sorocaba na Semana do Clima. Esses recursos são essenciais para darmos início a uma ação de sustentabilidade em nossos prédios públicos”, destaca o secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota.

As Semanas Regionais do Clima, organizadas anualmente, colaboram para abordagem de questões climáticas e união de propósitos a fim de acelerar ações conjuntas em apoio à implementação do Acordo de Paris, entre representantes do setor público, privado e organizações da sociedade civil. As iniciativas e as recomendações originadas no evento serão apresentadas para a Cúpula Global de Ação Climática, em setembro, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Na América Latina, as quatro linhas temáticas abordadas neste ano são: Transição Energética; Infraestrutura, Cidades e Ação Local; Transição da Indústria; e Soluções Baseadas na Natureza. Para os governos locais, a Semana do Clima da América Latina e Caribe também é uma oportunidade para ampliar a visibilidade das ações lideradas por cidades, regiões e novas oportunidades em seus territórios. Trata-se de um passo importante que antecede a COP-25, que ocorrerá no Chile em dezembro.

Por meio do Acordo de Paris, o grupo internacional empenha-se em conter o aumento da temperatura global em 1,5º C acima dos níveis pré-industriais, além de criar sociedades resistentes às mudanças climáticas, amparadas pelos fluxos financeiros necessários. Com esse foco, as Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) foram entregues pelos países, porém, não são suficientes para atender ao Acordo. A COP-25 deste ano conduzirá os governos a aumentarem o nível de ambição das Contribuições Nacionalmente Determinadas em sua próxima revisão, prevista para 2020.

Anúncios