Tags

,

O presidente da Câmara de Sorocaba, Fernando Dini (MDB), convocou uma reunião emergencial com os vereadores após novas denúncias envolvendo o prefeito José Crespo (DEM) e sua ex-assessora Tatiane Polis.

O encontro está marcado para a manhã desta quarta-feira (17), na sede do Legislativo.

Os vereadores devem discutir quais medidas poderão tomar após depoimento do ex-secretário de Comunicação e Eventos, Eloy de Oliveira, apontar que Tatiane Polis recebia R$ 11 mil por mês, embora atuasse como voluntária na Prefeitura de Sorocaba.

O Cruzeiro do Sul teve acesso a trechos do depoimento de Eloy. No documento, ele informa que Crespo insistiu para que a agência de publicidade e propaganda DGentil contratasse Tatiane como funcionária, mas o dono da empresa, Luís Navarro, se recusou a contratá-la. O impasse foi resolvido com um acordo, por determinação de Crespo, pelo qual a ex-assessora deveria ser paga com dinheiro do contrato público — no valor de R$ 20 milhões — que a agência tem com a Prefeitura.

No seu depoimento, Eloy acrescentou que foi a partir desse acordo que Tatiane passou a receber um salário de R$ 11 mil por mês para exercer a função de voluntária da Secom. A princípio o salário seria de R$ 9 mil, mas Tatiane teria pedido R$ 2 mil a mais.

O depoimento de Eloy foi dado à polícia como parte da operação Casa de Papel, que investiga desvio de dinheiro, fraudes em licitações e corrupção de agentes públicos na Prefeitura. A operação foi deflagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público no último dia 8.

O advogado de Tatiane, Márcio Leme, que também é advogado do prefeito José Crespo, disse ao Cruzeiro que “precisa tomar conhecimento do assunto para depois se manifestar”. Por meio de nota, o prefeito de Sorocaba disse que as acusações são falsas e que jamais recebeu ou mandou qualquer pessoa realizar pagamentos ilícitos.

Depoimento na CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal, que investiga supostas irregularidades no programa de voluntariado da Prefeitura de Sorocaba, realizará nesta quarta-feira (17), às 9h, oitivas com Tatiane Polis e seu marido, Willian Polis. Pesam sobre ela denúncias de atuação irregular no Paço, com acusações de caracterização de possível tráfico de influência e coerção. As investigações também estão sendo feitas pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Estado de São Paulo.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios