Tags

Apenas no primeiro dia da força-tarefa em combate aos escorpiões, realizado na última sexta-feira (14) na cidade de Sorocaba, 136 casas foram visitadas pelas equipes da Divisão de Zoonoses. Cinco caminhões de entulhos também foram retirados de área pública na região da Vila Helena. Além disso, bocas de lobo foram limpadas e a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Rodrigo recebeu roçagem de mato.

Durante as visitas nas residências agentes da Zoonoses verificam condições favoráveis da proliferação do escorpião e também passam as orientações à população, inclusive com um folheto explicativo.

De acordo com a Secretaria da Saúde (SES), essa iniciativa do prefeito José Crespo tem como enfoque a sensibilidade e conscientização da população para que contribuam no combate da proliferação de escorpiões em Sorocaba. Outras secretarias como a de Conservação, Serviços Públicos e Obras (Serpo) e Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), e mais o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), estão trabalhando num mesmo objetivo: otimizar a saúde pública da cidade nas regiões mais vulneráveis.

As atividades tem continuação nesta segunda-feira (17) e após a conclusão do trabalho na localidade, será divulgado as próximas regiões a receberem a intensificação de acordo com a vulnerabilidade de proliferação de escorpiões.

Para a secretária da Saúde, Dra. Marina Elaine Pereira, é muito importante a colaboração da população em conjunto dessa força-tarefa. “Precisamos que a população não jogue entulho em locais públicos, isso traz um grande dano à saúde pública. E caso alguém encontre um escorpião, acione a Zoonoses do modo correto, pois isso facilita o monitoramento e trabalho do órgão competente”, enfatiza a secretária.

Ações em UBSs

Na última sexta-feira (14) as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Rodrigo e Nova Esperança, realizaram atividades para fortalecer os cuidados ao escorpião. No Rodrigo, Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) receberam uma capacitação que tratou de arboviroses (dengue, chikungunya, zika e febre amarela) e sobre animais sinantrópicos (escorpião, morcego, rato e etc). Dessa forma, esses profissionais se tornaram multiplicadores para colaborar com a população no cotidiano do trabalho em comunidade.

Já na UBS Nova Esperança, uma equipe da Zoonoses esteve presente com uma exposição sobre animais sinantrópicos e folhetos informativos para os pacientes que passavam pelo local.

Orientações à população

No caso de uma pessoa ser picada por um escorpião, a Zoonoses orienta que procure atendimento médico imediato, seja nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Prontos-Atendimentos (PAs), Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) ou Unidade de Pronto-Atendimento (UPA). Nestas unidades, o médico vai definir qual vai ser a conduta a ser tomada. Se for a indicação de soro antiescorpiônico, é feito encaminhamento ao CHS.

Se o animal for encontrado, a Zoonoses destaca duas alternativas: a primeira é tentar matá-lo de modo “mecânico”. Tem que tentar matar com vassoura, chinelo, como der. É recomendável que o escorpião seja colocado em um frasco e levado à Zoonoses. É possível, também, acionar a Zoonoses por meio do canal 156 ou pelo site da Prefeitura: http://www.sorocaba.sp.gov.br/atendimento/#/Home/Solicitacao ou ainda procurar uma das Casas do Cidadão para registrar a ocorrência.

Em seguida, uma equipe técnica vai ao local, faz a inspeção da área e monitora o porquê da infestação. O aracnídeo é resistente ao uso de inseticida, ao contrário do que muitos pensam. É ineficaz aplicar. Eles são muito resistentes, conseguem ficar meses sem se alimentar, em condições adversas.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios