Tags

Com a chegada do final do ano e das férias escolares, aumenta o número de crianças e adolescentes brincando com pipas. Nisso, não há qualquer problema, porque trata-se de uma brincadeira antiga, mas muito divertida.

O problema é quando essa brincadeira pode causar danos a quem está empinando e a outras pessoas. Tudo isso por conta do cerol, linha cortante usada para derrubar outras pipas.

“O cerol já foi causa de vários acidentes envolvendo, principalmente, os motociclistas. Não há nada de errado em soltar as pipas, o problema é quando se usa essas linhas cortantes que, em muitos casos, já ceifou vidas”, diz o secretário de Segurança e Defesa Civil (Sesdec), Jeferson Gonzaga.

Responsável pela Guarda Civil Municipal (GCM), o secretário diz que são constantes os alertas para que todas as pessoas tenham um cuidado quando perceberem algo de errado.

Na última semana, por exemplo, a Guarda Civil Municipal (GCM) de Sorocaba esteve em operação conjunta com a Urbes – Trânsito e Transporte e a Polícia Militar, fiscalizando os comércios da região do Jardim Tropical, na Zona Oeste da cidade, local onde tem havido  reclamações frequentes, com o uso de cerol e outras infrações.

A operação visava investigar o comércio e a venda do produto e de bebidas alcoólicas para menores de idade feita por ambulantes e estabelecimentos locais. Durante a inspeção, foram apreendidas cerca de 70 pipas, que eram vendidas irregularmente por um ambulante e carretéis de linha com cerol deixados por adolescentes que fugiram ao notar os guardas que trabalhavam no local. Além disso, foram feitas inspeções em dois bares e uma loja que também comercializa as pipas, a qual foi autuada pela falta de inscrição municipal. Ninguém foi preso.

Marcos Mariano, comandante da GCM, explicou que são necessárias autuações em casos como estes. Segundo ele, a advertência tem o objetivo de minimizar os riscos tanto para os que estão por perto, quanto para os praticantes. Os indivíduos flagrados com o cerol são passíveis de multa registrada no CPF do infrator, e é inserida como dívida de valor junto à Fazenda Municipal.

Para denúncias sobre o uso do cerol, basta ligar para o telefone da CGM que funciona pelo número 153.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios