Tags

A Secretaria da Educação, por meio da Equipe Multidisciplinar do Centro de Referência em Educação, encerrou, nesta quarta-feira (12), as atividades do projeto ‘Quem se comunica bem, aprende melhor’, que beneficiou, aproximadamente, 600 estudantes da rede municipal de ensino.

A reunião contou com a participação de familiares e professores da Escola Municipal Oswaldo Duarte erealizada pelas fonoaudiólogas da Equipe Multidisciplinar da Sedu. A ação foi destinada às crianças matriculadas no Pré-1, com idade entre 4 e 5 anos.

O objetivo do projeto foi potencializar a comunicação das mesmas, por meio de estratégias lúdicas e práticas envolvendo estímulos visuais, auditivos e motores, visando desenvolver as habilidades da fala e linguagem, maximizando a capacidade de comunicação dos estudantes.

De acordo com a fonoaudióloga, Stella Spalutto, uma das profissionais envolvidas, as atividades tiveram como base uma necessidade observada a partir das solicitações das escolas que chegam à Divisão de Educação Especial. “Elaboramos e aplicamos o projeto procurando atender uma demanda crescente sobre as alterações da comunicação que afetam diretamente o processo educativo”, diz.

Para isso, o projeto-piloto foi executado em três unidades escolares da rede municipal que, ao longo do ano, apresentaram números expressivos de solicitações de apoio à Divisão de Educação Especial, via Anexo B, voltadas às questões fonoaudiológicas: CEI-14, E.M. “Maria de Lourdes Ayres de Moraes” eE.M. “Oswaldo Duarte”.

Ações realizadas

Ao longo dos encontros, as atividades realizadas abrangeram os alunos, familiares, professores, estagiários, cuidadores e as equipes gestoras das unidades escolares.

Os trabalhos realizados pelas fonoaudiólogas se dividiram em quatro módulos de estimulação: orofacial miofuncional, habilidades auditivas, fala e linguagem e consciência fonológica. Na estimulação orofacial miofuncional foram abordadas questões a respeito dos hábitos orais prejudiciais ao crescimento dos ossos, da musculatura da boca e da face (uso de mamadeira, sucção de chupeta e dedo). Além disso, as crianças puderam aprender as partes que compõem a boca e as suas principais funções, como respiração, mastigação, deglutição, fala e expressão facial.

Já na estimulação das habilidades auditivas, as profissionais trabalharam aspectos do processamento auditivo central, tais como atenção e localização sonora, memória e discriminação auditiva, aspectosfundamentais para a aquisição e o desenvolvimento da expressão oral e escrita.

Na estimulação da fala e da linguagem, as fonoaudiólogas enfatizaram a expressão oral com o trabalho de articulação de fonemas para a faixa etária de 4 a 5 anos. Também abordou-se o exercício dacompreensão de conceitos na transmissão de ideias, pensamentos, sentimentos de forma verbal e não verbal (gestos e expressões), objetivando desenvolver nas crianças a capacidade de compreensão das mensagens recebidas e de se fazerem compreendidas pelos seus receptores.

Em relação à estimulação da consciência fonológica, foi trabalhada a percepção da tomada de consciência de palavras, destacando que as mesmas podem ser divididas com a tomada de consciência das sílabas. Destacou-se que, manipuladas oralmente, elas aliteram-se (palavras que começam com os mesmos sons) e podem rimar entre si (quando terminam com os mesmos sons). Tais percepções promovem rápido sucesso no processo da alfabetização.

Ao longo do projeto, os familiares receberam informações a respeito dos quatro módulos abordados durante os encontros, com sugestões de atividades práticas e lúdicas para serem realizadas diariamente,favorecendo a aquisição e o desenvolvimento da comunicação.

A estimulação das múltiplas habilidades comunicativas, contempladas no projeto realizado pelas fonoaudiólogas, aliada ao trabalho desenvolvido pelas equipes escolares de Educação Infantil, resultam em benefícios para as crianças atendidas. Entre elas estão a contribuição para a promoção da saúde comunicativa, a prevenção dos distúrbios da comunicação humana, além da potencialização do processo de aprendizagem dos estudantes.

A fonoaudióloga Stella destaca que o projeto já obteve resultados com o trabalho das profissionais.“Através das ações realizadas junto aos estudantes, aos seus familiares e à equipe escolar, pudemos observar o grande interesse das crianças em participar das atividades propostas. Também já ouvimos relatos de mudanças de hábitos e comportamentos na casa e na escola, tivemos o retorno positivo dos familiares, sem contar a possibilidade deixada aos professores de os mesmos estarem dando continuidade ao trabalho através dos materiais disponibilizados”, relata.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios