Tags

Muitos trabalhadores mantém fora do horário de trabalho atividades que os preenchem e, muitas vezes, sem nenhuma remuneração.

É o amor ao próximo que fala mais alto. O sentimento de poder fazer algo em benefício de alguém tem um sabor todo especial. Que diga Jurandy e Isaias, que têm em comum atividades de doação ao próximo.

A paixão pela arte marcial japonesa e a satisfação em ser professor é nítido no guarda municipal Isaias de Oliveira Júnior. Faixa preta em Jiu-Jitsu, ele iniciou a prática no esporte há 14 anos na Academia Herman Gutierrez. Por meio do esporte, Isaias já participou de diversos campeonatos. É o caso da Olimpíada das Guardas Municipais do Estado de São Paulo, no qual conquistou a medalha de prata na modalidade Jiu-Jitsu em 2017.

Mas o mais chama a atenção na história de Isaias é que a arte aprendida está sendo passada a muitas pessoas. E o melhor de tudo: de graça. Isaias ministra aulas gratuitas de Jiu-Jitsu para a população e explica: “ser professor agrega muito. Através disso, você mostra o benefício do esporte e molda a vida de pessoas. O exemplo é um jovem que poderia usar entorpecentes, mas que muda ao possuir contato com o esporte e com agentes de segurança pública”, afirma Isaias, que é um dos professores do projeto social “Jiu-Jitsu na Guarda”, aberto ao público externo e realizado na sede da Guarda Civil Municipal de Sorocaba. De acordo com o GCM, a iniciativa é importante para que as pessoas saibam o trabalho que é realizado no local. “Isso permite que conheçam o que é a Guarda Municipal e como é o ambiente interno”, ressalta.

A voz como dom artístico e espiritual

Outro que mostra seu lado social é o GCM Jurandy Gomes da Silva que faz parte do “Coral da Família GCM”. O tenor tem orgulho não só de cantar, mas de levar esse canto àqueles que precisam de um momento de conforto. “Nós (coral) vamos a hospitais, casas de recuperação e a outros locais dessa natureza levar um pouco de alegria a essas pessoas. Creio que a música faça o coração de qualquer pessoa vibrar de forma diferente. Nos enche de orgulho saber que estamos levando essa emoção às pessoas”, destaca Jurandy que, ao lado dos amigos, também arrecada e doa alimentos e roupas pelos locais onde cantam.

Como frequentador e aspirante a pastor da Igreja Batista, ele conta que o ponto principal dessas ações é a integração com as pessoas com histórias diferentes e que podem oferecer uma troca de conhecimentos. Um dos pensamentos frisados foi de que apesar do compromisso com a religião, ele não discrimina a escolha de ninguém quanto às crenças.

Do ofício à arte da cutelaria

Milhões de trabalhadores cumprem dupla jornada no país, seja para reforçar a renda ou simplesmente para colocar em prática o gosto pelas artes, por exemplo. Esse é o caso do GCM, Nestor Santos, que há 26 anos veste a farda da guarda municipal de Sorocaba. Depois de cumprir a jornada diária de trabalho é para a pequena oficina que mantém na garagem de casa, que Nestor mostra seus dons artísticos. É que há 20 anos, o GCM aprendeu o ofício de cutelaria, a arte de cunhar facas, espadas e punhais.

“Um amigo me disse à época, que um americano daria o curso. Acabei fazendo e gostei tanto que nunca mais parei”, conta o GCM que hoje tem a ajuda da esposa para dar conta de tantos pedidos. “Faço a minha propaganda, coloquei em redes sociais, e, hoje, recebo pedidos do Brasil todo”, explica Nestor, que chega a levar semanas para fazer uma única peça.

“A gente aplica todo o conhecimento adquirido, mas também tem o lado do prazer. É um trabalho difícil, cansativo, mas prazeroso. Isso se transforma em um combustível para o trabalho”, diz Nestor.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios