Tags

Um serviço que visa a proteção e que tem tornado a relação da Guarda Civil Municipal de Sorocaba (GCM) cada vez mais próxima da população, tem definido o trabalho desenvolvido pelo Canil da Guarda, que, além dos patrulhamentos e abordagens feitas diariamente, também realiza as ações sociais com o cão terapeuta em escolas e hospitais.

Criado por meio da Lei nº 32/2018, de autoria do executivo, na gestão do Prefeito José Crespo, o Canil da GCM, foi inaugurado no dia 5 de abril deste ano. Um sonho realizado para o Chefe de Seção do Canil, Ezequiel Ponciano Alves, também especialista em terapia com animais, que vinha travando uma luta de 10 anos para ver a construção do local. “Esse governo acabou acreditando e confiando em mim, e, no dia da inauguração, foi incrível porque lotou a rua, tivemos pelo menos 200 guardas de toda a região, até da baixada santista, Guarujá e Praia Grande. São amigos que me conheceram quando comecei e que vieram me dar um abraço”, conta emocionado.

O Canil, além da estrutura administrativa, conta com nove baias, local de moradia dos sete cães, sendo dois Labradores (Zarah e Blacky), dois Pastores-Alemães (Hulk e Fúria), um Pastor Belga Malionois (Glock), um Rottweiler (Rocco) e um Golden Retriever (Buddy).

Os animais são treinados nas ações de abordagem e faro de entorpecentes realizadas em parques e escolas. “Para fazer uma operação policial, o cachorro tem que ter um temperamento forte, mas, que aceite ser controlado e receber limites porque ele precisa ter iniciativa e instinto de caça”, explica. “Os guardas que trabalham no Canil, em primeiro lugar amam os cachorros de verdade, são comprometidos com o trabalho e tem o espírito de união, pois nos respeitamos como uma família”, completa.

Cão Terapeuta

Treinados de forma específica, os cães terapeutas contribuem com os bons resultados físicos, emocionais, preventivos e educativos. O Buddy, um filhote agitado e alegre, chegou ao Canil com apenas dois meses, sua raça, Golden Retriever, é considerada ideal para esse tipo de trabalho por ser dócil e inteligente. Sua função é atender as necessidades de pessoas com depressão, estresse, autismo, alterações neurológicas e distúrbios emocionais. “Ele se transforma quando está com as crianças, porque sabe que tem que fazer o bem e isso é natural dele”, declara Ponciano.

Buddy tem um papel fundamental no novo lar, que é o de substituir o Mayke, um Golden Ritriever, símbolo do canil que doou por oito anos da sua vida o amor às crianças e aos idosos. “O Mayke começou com seis meses e desde o começo mostrou ter um faro apurado, ele era muito bom. Onde ele ia as pessoas queriam tirar fotos e, aos poucos, percebi que ele fazia muito bem para mim. Quando eu estava cansado, ele me deixava mais disposto e alegre, só dele chegar perto parecia que eu ia explodir de tanta alegria”, relata.

Mayke, que já estava aposentado, acabou falecendo aos nove anos, no dia 22 de novembro. Para Ponciano, o cão fez sua história, pois, de certa forma, foi um dos idealizados do Canil. “O que me deixa forte para manter a cabeça erguida é dar sequência ao trabalho. Eu vejo que ele (Mayke) deixou uma missão para mim. Ele morreu nos meus braços, deu o último suspiro e o último olhar, e, nesse olhar, ele falou ‘eu fiz a minha parte, chegou a hora e daqui para frente é com você’ e a missão que eu entendo é treinar o Buddy”, afirma.

O novo mascote já tem mostrado que cumprirá muito bem a nova missão. Com o pouco tempo que está no Canil já fez amizade com a pequena Maria Heloíza, de 4 anos, diagnosticada com paralisia cerebral. Ponciano explica que depois que a menina começou a interagir com o animal, todos os transtornos acabaram. “A Maria me falou algo que me emocionou bastante. Ela quer andar e ser policial para cuidar de cachorros. Por isso, nós trabalhamos baseados em leis e técnicas, mas, o que nos move é o amor”.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios