Tags

, ,

O Jornal Ipanema desta semana mostra que após três meses de retorno pós-cassação, em agosto de 2017, o governo do prefeito José Crespo (DEM) apresenta incoerências, contradições e deixa algumas questões sem respostas: por que assumir um contrato de R$ 2,4 bilhões no BRT se quando o democrata, atuando como vereador, ingressou na Justiça e no Ministério Público tentando proibir o então prefeito, Antonio Carlos Pannunzio, de fazê-lo?

Veja, ainda, detalhes do Merendagate, o escândalo da merenda municipal; a prorrogação de contratos vencidos após 5 anos para serviços de limpeza nas escolas municipais em recesso; a assessora especial de Brasília, que chegou a ser exonerada do Congresso Nacional; e o coordenador econômico da municipalidade, réu num processo de R$ 30 milhões, que trabalha como “servidor voluntário” no Paço.

Fonte: Jornal Ipanema

Anúncios