Tags

,

O prefeito de Sorocaba, José Crespo (DEM), revogou a “anistia” dada por Jaqueline Coutinho Barcelos (PTB) – prefeita em exercício de final de agosto a começo de outubro – aos servidores públicos municipais, no que tange o pagamento obrigatório de ponto facultativo.

A partir de 2018, os funcionários do Paço terão descontados os dias emendados (feriados prolongados).

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (SSPMS), Salatiel Hergesel, divulgou um posicionamento à categoria, o que dá indícios de que o Ano Novo poderá começar com greve na cidade.

“Dois mil e dezoito começa sem reajuste, com terceirizações absurdas; com redução de salário aos atuais servidores, pois perderão horas suplementares e horas extras, que é o caso da Saúde; novamente o pagamento de ponto facultativo obrigatório, que tinha sido ‘anistiado’ pela então prefeita Jaqueline, em 2017; para os servidores da Educação – são seis mil -, a secretária Marta já informou que as auxiliares de educação voltarão a fazer oito horas e o suporte pedagógico (supervisores, diretores, vice e supervisores) também voltará a fazer oito horas porque o prefeito vai entrar com ADIN, e setores importantes, como motoristas e mecânicos, também serão terceirizados”.

Salatiel diz que a terceirização “é desvio de dinheiro público para as mãos de empresários, que ajudaram a eleger este governo”.

O sindicalista pediu mobilização da categoria, em áudio que circula nas redes sociais.

“Teremos que cruzar os braços, ir para a rua e mostrar o nosso valor. Não sejamos como gado marcado, que não sabe a força que tem e fica preso em uma cerca de bambu. Um mais um é sempre mais que dois. O governo quer nos dividir. Vamos mostrar a força e a importância que o servidor tem para Sorocaba”, ressaltou o presidente do SSPMS.

Fonte: Jornal Ipanema