Tags

O presidente da Câmara de Sorocaba, vereador Rodrigo Manga (DEM),
entregou um relatório ao prefeito José Crespo, nessa sexta-feira (22) à
tarde, apontando as principais dificuldades enfrentadas por pacientes
renais de Sorocaba e Região quanto à busca de atendimento de qualidade.

O objetivo é buscar o apoio da Administração Municipal para buscar
soluções conjuntas com o Governo do Estado e a União.

O encontro, que ocorreu no gabinete do Prefeito, foi uma continuidade
da reunião ocorrida no dia 8 de dezembro em São Paulo. Naquela
oportunidade, Manga e uma comissão formada também por outros
vereadores, deputados, autoridades da saúde, apontou as necessidades
regionais para o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

Na reunião desta sexta-feira participaram também: o deputado estadual
Missionário José Olímpio (DEM); o secretário da Saúde de Sorocaba,
Admir Watanabe; o presidente do Conselho Municipal da Saúde, Francisco
Valério; além do diretor do Instituto de Hemodiálise de Sorocaba,
Jaelson Guilherme Gomes; de Renato Proença, representante da Associação
dos Pacientes Doadores e Transplantados Renais de Sorocaba e Região
(Transdoreso); mais o secretário municipal de Comunicação Eloi de
Oliveira e o chefe de gabinete da Prefeitura, Eric Vieira.

“Foi uma reunião mais produtiva que aquela em São Paulo. O objetivo
agora é tentar agendar para janeiro uma ida a Brasília, para falar com
o ministro da Educação, responsável, sobretudo, pela destinação de
verbas para investimentos em saúde renal, além do custeio e
fornecimento de medicamentos para esse público, que estão em falta”,
frisa Manga.

Problemas – Com relação ao tratamento renal, foram levantados problemas
como o financiamento insuficiente pelo Ministério da Saúde, uma vez que
85% dos pacientes que precisam de hemodiálise são atendidos pelo SUS; a
falta de vagas para internação e fila de espera para hemodiálise;
irregularidades na distribuição de medicamentos pela Farmácia de Alto
Custo, além de falta de treinamento dos médicos da rede básica para
diagnóstico precoce e ausência de mapeamento do problema e de centros
de transplante.

O prefeito Crespo se comprometeu em ajudar na busca de qualidade e
agilidade do transporte de pacientes de Sorocaba, que necessitam de
hemodiálise em outros musicais. Também adiantou que vai interceder em
outras esferas de governo para buscar melhorias na regulação de
pacientes e analisar a viabilidade de um sistema de gestão plena da
saúde para a região metropolitana, na qual o município assumiria o
gerenciamento do atendimento aos renais, custeados pela União ou
Estado.

Segundo Manga, uma novidade apontada por Crespo é a abertura, em breve,  de licitação do transporte especial em Sorocaba, com possibilidade de ampliar o modelo para atender ainda os pacientes renais transplantados, que necessitam de assistência periódica em São Paulo.

“Agora, o encontro em Brasília será fundamental para fecharmos esse ciclo, a fim de reivindicarmos um tratamento digno aos pacientes renais, inclusive
aqueles casos crônicos e que dependem de vagas de internação em
Sorocaba”, reitera Manga.

A comissão que tem participado das reuniões foi formada durante evento
realizado após a audiência pública promovida por Manga em 26 de
setembro, sobre a prevenção e o tratamento das doenças renais,
sobretudo para pacientes que necessitam de hemodiálise.

Em Sorocaba, onde esse tipo de atendimento é de responsabilidade do
Governo do Estado, existem cerca de 350 pacientes em tratamento de
hemodiálise e outros 70 fora do município. Manga destaca que em
Sorocaba já existe a Lei Municipal 10.956, de sua autoria, que declara
os pacientes renais como portadores de deficiência e garante
assistência diferenciada a esse público.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios