Tags

, ,

A maioria dos 20 vereadores da Câmara de Sorocaba não acredita que o prefeito cassado José Crespo (DEM) consiga voltar ao cargo por meio de decisão judicial. Somente os que votaram contra a cassação de Crespo disseram que ele ainda poderá conseguir um resultado positivo na Justiça e reassumir o cargo de chefe do Executivo. Já os demais parlamentares afirmam que Crespo não deverá ter sucesso nessa empreitada.

O recurso de agravo de instrumento apresentado pela defesa de Crespo deverá ser julgado em breve pela juíza a desembargadora Heloísa Martins Mimessi, da 5ª Câmara do Tribunal de Justiça do Estado. Com o agravo, o prefeito cassado pretende anular os efeitos da sessão da Câmara de Vereadores que o cassou no dia 24 de agosto.
O presidente da Câmara, Rodrigo Manga (DEM), disse que a juíza deverá seguir as outras decisões liminares, que já foram negadas pela Vara da Fazenda Pública de Sorocaba. “O Direito não é uma ciência exata, mas eu acredito que ela vai seguir as outras liminares e entender que tudo foi feito dentro da legalidade. Vai ter o prazo normal para julgar o mérito e acredito que não irá ocorrer nenhum tipo de mudança no julgamento, mas seja qual for o resultado nós vamos respeitar.”

O vereador Fernando Dini (PMDB), líder de Crespo no Legislativo, afirma que “a Justiça fará Justiça”. “Em relação ao entendimento do Tribunal de Justiça se vai ser o mesmo ou não daqui são fatos que nós não podemos colocar agora em pauta porque é o entendimento da interpretação da lei, mas eu acredito sim no TJ e que ele fará um trabalho imparcial, pois está fora da cidade e fora desse calor que Sorocaba vive e acredito muito na Justiça”, disse.

Já Renan Santos (PCdoB) ressaltou que do mesmo modo que o ex-prefeito está “apelando” para a Justiça, a Câmara também poderá recorrer da decisão do Tribunal. “Mas eu penso que o máximo que pode acontecer é voltar naquela sessão, que é o que ele está pedindo porque na Comissão Processante todo o rito de investigação é inquestionável.”

Anselmo Neto (PSDB) disse que a questão é saber se a juíza vai julgar a liminar ou se irá decidir colocar na pauta de julgamento do mérito. “Na semana passada houve um julgamento similar em Campo Limpo Paulista e talvez ela tenha que ter a mesma procedência no julgamento desse mérito, e no final do processo vai ser deferido”, observou. Anselmo também entrou na Justiça porque no dia ele foi impedido de votar.

O líder da prefeita Jaqueline Coutinho (PTB), vereador José Francisco Martinez (PSDB), afirma que decisão judicial cumpre-se e não se discute. “Na verdade a gente fez tudo dentro da avaliação do plenário. Agora, a juíza no caso é evidente que o entendimento dela de Justiça a gente cumpre e não discute. Então, claro que a gente vai seguir a determinação e o que ela julgar”, ressaltou.

Já o vereador Irineu Toledo (PRB) acredita que “houve quebra do regimento” na sessão extraordinária que cassou Crespo, “mas nós temos que deixar a Justiça definir isso e eu espero que seja feito de acordo com a lei e as provas, pois é assim que se faz Justiça”.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios