Tags

,

Por determinação do prefeito José Crespo (DEM), a vice Jaqueline Coutinho (PTB) está impedida de despachar em seu gabinete. Ela atendeu moradoras do Jardim Santo André II na sala de espera do sexto andar do Paço, na presença do funcionário Raphael Pironi de Souza — assessor direto do chefe do Executivo.

A conversa foi mantida em meio ao trânsito de pessoas. Jaqueline tentou argumentar com o assessor comissionado Carlos Henrique Mendonça, também de confiança de Crespo, mas ele disse que a nova determinação é essa. A moradora Ivone Major se disse indignada e desrespeitada. “Eu votei na chapa, e quero ter o meu voto respeitado”.

Na quinta-feira (10), o prefeito José Crespo instalou um funcionário de sua confiança contra a vontade de Jaqueline Coutinho no gabinete da própria vice-prefeita, no sexto andar do Paço. Raphael Pironi de Souza é Guarda Civil Municipal (GCM) em Sorocaba, mas atualmente é assessor comissionado nível 3 do chefe do Executivo.

A imposição causou constrangimento a Jaqueline Coutinho. Segundo a vice-prefeita, Souza não está instalado em seu gabinete para assessorar. “Mas sim para monitorar, vigiar, constranger”. Para ela, isso caracteriza abuso de autoridade e cerceamento dos direitos individuais como pessoa física e vice-prefeita. Tanto que o funcionário nem mesmo atende as ligações feitas na sala, conforme disse.

Jaqueline entrou quinta-feira no gabinete, por volta das 10h, e o funcionário já estava no local. Ele estava sentado e com um notebook ligado. Indagado, ele teria dito que estava naquela mesa para trabalhar e o local seria o posto dele.

A vice-prefeita permaneceu 5 horas e 30 minutos em seu gabinete — das 10h às 12h e entre 14h30 e 18h. Em todo esse período, o funcionário não se levantou da cadeira. Segundo ela, ele mexia no computador portátil e usava um fone de ouvidos, que era retirado somente quando Jaqueline pedia para que ele deixasse a sala para receber os populares.

Segundo Jaqueline, Souza teria dito que recebeu ordens do assessor comissionado Carlos Henrique Mendonça para não deixar o gabinete. “Respondi que ele deveria cumprir a minha determinação e ele falou que não iria cumprir porque a ordem era para que ele ficasse lá”, relata a vice-prefeita de Sorocaba. Curiosamente, Souza e Mendonça foram os assessores do prefeito que distribuíram juntos coxinhas aos servidores municipais em uma manifestação em frente à casa de José Crespo, em 22 de março deste ano.

Entre as visitas recebidas quinta-feira por Jaqueline, a vereadora Fernanda Garcia (Psol) disse ter presenciado um exemplo de constrangimento contra a vice. A parlamentar ouviu do funcionário que ele estava no local para fazer o planejamento de agenda do prefeito Crespo.

Por meio de nota, a Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom) da Prefeitura de Sorocaba informou que o prefeito José Crespo liberou um assessor qualificado para ajudar Jaqueline Coutinho nas suas tarefas. “De acordo com a súmula de trabalho, o funcionário deve prestar assessoramento direto à chefia para o desenvolvimento das suas funções e fazer o acompanhamento técnico da ação programática da administração municipal, ajudar no gerenciamento de dados e informações técnicas relativas ao controle da execução das políticas públicas municipais e das metas e objetivos a serem alcançados e prestar outras atividades típicas de assessoramento superior.”

A Prefeitura se recusou a responder ao Cruzeiro do Sul por que o assessor precisa ocupar a mesma sala da vice. Também não comentou se a determinação partiu do prefeito Crespo e se isso seria uma medida para vigiar as ações da vice-prefeita enquanto ela trabalha no gabinete.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios