Tags

,

Não são só as crianças e os jovens que retornaram à rotina escolar nesta semana: homens e mulheres com idades acima de 50 anos também voltaram às aulas. Melhorar a autoestima, fazer novas amizades, manter ocupação prazerosa e até mesmo ter mais saúde são valores citados por essas pessoas como estímulos na volta aos estudos e à convivência com os novos colegas e os professores.

Eles fazem cursos na Universidade da Terceira Idade da Universidade de Sorocaba (Uniso). São aproximadamente 600 estudantes na faixa etária acima dos 50 anos, segundo a coordenadora Ana Paula Santos. Ontem, foi o primeiro dia de aula do segundo semestre do ano para alunos dos cursos de fotografia e francês.

Grande parte das turmas é composta de aposentados. Roseli Miranda Coelho, de 54 anos, foi servidora municipal e, antes de se aposentar, fez um curso que mostrou a importância de ter atividade para essa fase da vida. Entrou no curso de fotografia depois de ter cursado alongamento e dança. Segundo ela, os reflexos são positivos: “Você não fica em casa: se você fica em casa, chama a depressão. Você tem a oportunidade de ter novas amizades, novas pessoas, novas histórias de vida. E você está expandindo o seu conhecimento.”

Ivana Curto, de 58 anos, foi bancária e fez a graduação de gestão comercial em moda depois que se aposentou. Atualmente está no curso de fotografia, mas também já fez cursos de Tai chi chuan e Ioga. Segundo ela, a Universidade da Terceira Idade tem proporcionado “muita alegria em ter um tempo dedicado para mim”. E explicou: “O tempo que eu estou aqui só serve para mim: ninguém me atormenta, ninguém me torra, ninguém me chama.” E também celebrou as novas amizades.

Com a professora

Na aula de francês, a sintonia dos alunos com a professora Maria Virgília Frota Guariglia, de 75 anos, é marcada por animação e vontade de aprender a língua de Honoré de Balzac. O aluno mais idoso da classe, Carlos Mesquita, de 85 anos, disse que voltar a estudar é uma oportunidade de não deixar a cabeça ficar enferrujada: “Põe a memória para funcionar. Relacionamento com novos colegas.” E sugere que outras pessoas da sua faixa etária voltem a estudar: “É uma maneira de ser útil à sociedade também.”

“Faz bem para a saúde”, diagnosticou Sérgio Otávio, de 65 anos. “Você tem que vir de sua casa para a escola, você já está desenvolvendo uma caminhada.” Ele vê o comparecimento à Universidade como um compromisso com os colegas de classe: “Você vem para se reunir com os colegas.”

Sônia Tondelli, de 58 anos, disse que na fase da vida após os 50 anos as pessoas procuram viajar e o curso de francês ajuda nesse hábito. “É uma forma de manter a memória boa, você está ocupado, e de conhecer uma professora maravilhosa (referência à professora Maria Virgília). É prazeroso. Você não vem aqui por obrigação, você vem aqui porque quer vir. E pagamos pra vir.”

Maria Virgília não poupou elogios aos alunos: “É uma turma extremamente capaz, inteligente. Parecem realmente que estão começando a aprender agora como crianças. Essa classe tem uma facilidade extrema para a língua francesa.” Ela dá aulas de francês há 50 anos ininterruptos para estudantes de todas as idades e escolaridades. E avaliou: “Para mim, dar aula é um rejuvenescimento mental.”

Educação para a vida

Segundo a Uniso, a Universidade da Terceira Idade foi implantada em 1996 como programa de extensão universitária com a proposta de promover a educação permanente. Tem o objetivo de proporcionar a educação ao longo da vida para pessoas de 50 anos ou mais interessadas em atualizar conhecimentos, redimensionar projetos e ampliar a rede de relacionamentos sociais.

A Uniso também considera que pessoas que estão na terceira idade ainda têm condições de manterem uma série de atividades profissionais, educacionais e sociais, além de poderem exercer sua cidadania e ocupar seu lugar social. A programação de cursos inclui filosofia, danças, neurolinguística, idiomas, informática, memória, fotografia, teatro, pilates e atividades físicas personalizadas, oficinas, palestras e viagens culturais. O local das aulas é o câmpus Seminário da Uniso, localizado na avenida Eugênio Salerno, número 100.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios