Tags

Para resgatar a história cultural de Sorocaba no mês em que completa 363 anos, a Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur), realiza mais uma edição do Passeio Histórico na Igreja João de Camargo, neste sábado (5), às 14h30, na Avenida Barão de Tatuí, 1083. As inscrições para participar podem ser feitas na Biblioteca Infantil na Rua da Penha, número 673 ou através do telefone: (15) 3231-5723.

O passeio será conduzido pelo historiador, José Rubens Incao, que explica que a história da capela de João era um dos únicos redutos da cultura negra em Sorocaba, e que a igreja era um dos poucos espaços que o negro tinha para se manifestar e fazer os cultos religiosos.
Ele frisa que esse passeio é importante, pois além de conhecer um patrimônio histórico da cidade e a história de João de Camargo, vale para exercitar a tolerância religiosa que João sempre praticou. “Independente da religião, em conjunto a igreja tinha uma sala que era liberada para quem quisesse usá-la para realizar cultos, é incrível pensar que antes da década de 1940 existiu um cara com um respeito religioso.”

De acordo com Incao, toda a religiosidade de Sorocaba está presente na capela de João de Camargo, e a palavra que define a igreja é o acolhimento. “Mesmo que você não seja cristão e não acredite em nada, você se sente acolhido lá dentro”, afirma.
O quarto, que pertenceu a João de Camargo, com objetos e peças usadas por ele, encontra-se preservado e é aberto para visitação no último domingo de cada mês. Na época em que ele era vivo, Sorocaba recebia pessoas do Brasil inteiro para se benzer, além de muitas cartas. Como não sabia ler nem escrever, tinha sempre alguém que as descrevia, sendo assim, era feito um atendimento por cartas, afirma Incao.

Para o historiador, é apaixonante despertar um olhar sensível nas pessoas. “A cidade é só prédios, nós temos que marcar Sorocaba contando as histórias dela”, finaliza.

A Capela e João de Camargo
A Igreja de João de Camargo foi construída em 1907 e teve a primeira ampliação em 1910. O conjunto é formado pela Capela principal com seus altares laterais, arco e altar, a Sala Lateral onde são preservados instrumentos da Corporação Musical São Luís e a mobília pertencente ao Monsenhor João Soares e adquirida por João de Camargo.

João de Camargo era um ex-escravo, nascido em Sarapuí no século 19, logo após a abolição da escravatura, veio para Sorocaba, mas devido à epidemia de febre amarela na época, mudou-se para Salto de Pirapora e retornou após o surto da doença passar em 1897.
Em 1906, João teve sua primeira visão, após se esconder de uma tempestade na capela do menino Alfredinho, recebendo um sinal de que deveria parar de beber e ajudar as pessoas, foi então que com ajuda de amigos, construiu a capelinha.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios