Tags

Foi aprovado pela Câmara Municipal de Sorocaba, na sessão ordinária desta quinta-feira, um requerimento de autoria do vereador Péricles Régis (PMDB) que questiona o Poder Executivo sobre funcionamento, manutenção e procedimentos do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu-192) em Sorocaba.

Os questionamentos surgiram depois de uma ação de fiscalização empregada pelo vereador no dia 27 de julho, depois de ter recebido denúncias de problemas com as ambulâncias que prestam o serviço de socorro à população na cidade.

“Fui pessoalmente e avaliei os checklists (abaixos) que os motoristas devem preencher demonstrando as inconformidades dos veículos, e constatamos problemas que atrapalham os trabalhos dos funcionários do serviço”, explica o vereador.

Entre os problemas encontrados por Péricles Régis, estão o funcionamento precário de giroflex e sirene (fundamentais para agilidade nos deslocamentos), problemas na seta, e também na iluminação superior dos veículos que serve para ajudar em casos em que o socorro é feito em local escuro. Há ainda falta de operação do ar condicionado, que atrapalha inclusive o transporte de pacientes em dias de calor.

Outro veículo estava sem a chave de roda, que é necessária em casos na troca de pneu dos veículos. No dia 24 de julho, uma ambulância teve ocorrência de quebra da roda a caminho de um Pronto Atendimento, e outra unidade móvel precisou ser deslocada para a ocorrência. Ainda na fiscalização, o vereador constatou que uma das ambulâncias havia parado por cinco vezes em poucas semanas.

Segundo o que foi apurado no local, não existe a orientação de um procedimento padrão para o preenchimento dos checklists. “Pedi pessoalmente e solicito no requerimento que os motoristas façam a inspeção assim que assumirem seus turnos, até para evitar possíveis questionamentos da chefia sobre a forma como eles conduzem os veículos”, conta Péricles. O que causou estranheza ao vereador é que o chefe de seção do Samu, Jaime Rodrigues Ferreira Junior, admitiu saber de vários outros problemas das ambulâncias que não estavam descritos nos relatórios produzidos pelos motoristas. “Quero saber quem é que pediu aos motoristas para não colocar estes itens no documento. Para a melhor fiscalização e transparência, é preciso que tudo seja documentado. A quem interessa que algumas coisas não sejam descritas?”, questiona.

Outro ponto fundamental que o vereador ouviu de reclamação dos socorristas e motoristas, é sobre a finalidade do serviço. “Os funcionários relataram que o Samu é utilizado para transferência de pacientes entre unidades de saúde. Só que, enquanto um paciente é transportado, acontecem emergências nas ruas, e a cidade fica desguarnecida. Temos ouvido muitas reclamações de que o Samu demora para chegar nas ocorrências, mas agora sabemos que as ambulâncias ficam ‘presas’, por exemplo, na Santa Casa, aguardando a desocupação de um leito para que o paciente seja acolhido. Sorocaba precisa ter ambulâncias específicas para o transporte entre unidades, para que o Samu seja destinado somente para atendimento de ocorrências”, pede.

CONFUSÃO – No início da fiscalização, um dos motoristas negou momentaneamente ao vereador o acesso às listas de manutenção. Houve discussão entre os dois, que se excederam, cada um para defender o seu trabalho. “Eu disse coisas que podem ser interpretadas de maneira pejorativa. Erro meu, injustificável. Antes de encerrar a diligência, consegui me desculpar com alguns dos funcionários. Pouco mais tarde, refleti minha postura e voltei ao local para pedir perdão aos socorristas. Também consegui telefonar para o motorista com quem iniciei a discussão e lamentei o ocorrido. Sei que errei, mas foi na busca de cumprir a minha missão de fiscalizar”, diz Péricles.

Foi aberto um boletim de ocorrência por parte do servidor Jaime Rodrigues e o prefeito José Crespo disse publicamente que a corregedoria-geral do Município também vai investigar o caso.

O vereador recebeu com serenidade a informação sobre a apuração, e espera ser chamado para colaborar com o máximo de transparência para o pleno esclarecimento dos fatos. Até porque, desde então, muitos equívocos têm sido propagados sobre essa história.

Em anexo estão três checklists de ambulâncias (os prefixos estão anotados com caneta) que estavam à disposição para fiscalização no dia da fiscalização. Os “NC” anotados significam “não conformidade”, e demonstram os problemas das ambulâncias.

Fonte: Assessoria do Vereador

Anúncios