Tags

Trazer mais debates sobre as questões da negritude foi o que os representantes de movimentos negros e comunidade artística sugeriram ao secretário da Cultura e Turismo de Sorocaba, na primeira reunião para discutir a programação da Semana da Consciência Negra.

No encontro aberto (foi realizado um chamamento público), cerca de 10 representantes apresentaram ao secretário suas ansiedades e, em uníssono, apontaram a necessidade de o evento não ocorrer apenas em forma de entretenimento (com música e danças), mas trazer mais espaço para palestras, bate-papos, mesas redondas, mesclados às atrações artísticas.

No próximo dia 3 haverá um segundo encontro e toda a comunidade está convidada a participar da reunião, marcada para as 15h, na sede da Secultur (Rua Souza Pereira, 448).

Na conversa, realizada na tarde desta quinta-feira (20), também foi levantada a necessidade de integrar outras áreas, além da cultura, como saúde e educação, para que haja outras discussões como a psicologia social do racismo, a saúde da mulher negra, a ideologia do branqueamento, a importância da cultura negra na cidade de Sorocaba, os heróis nacionais negros entre outros temas apontados pelos presentes.

Para o secretário da pasta esta primeira conversa foi muito produtiva e serviu para ouvir, em um primeiro momento, o posicionamento da comunidade negra sobre o evento. De acordo com o secretário, seria pretensioso o Poder Público, sozinho, querer construir uma agenda sem consultá-los.

“Mais do que realizar um evento, estamos nos aproximando da comunidade negra local para estreitarmos um diálogo para a construção de outras ações no decorrer da gestão. Sem ouvir o outro, não há como se ter uma agenda de ações públicas que atenda as demandas da comunidade”, avaliou.

Para ele, que já milita no movimento negro há anos, as próximas reuniões serão ainda mais produtivas e deverão contar com a presença de mais pessoas e entidades. “Meu chamamento é para construirmos juntos a cidade que queremos”.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios