Tags

, ,

A chave que abre a porta do gabinete da vice-prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PTB), não abriu o local na manhã desta segunda-feira (17), no 6º andar do Paço Municipal. Jaqueline acredita que o miolo da fechadura tenha sido trocado.

Segundo a vice, quando sua assessora chegou para trabalhar às 8h, a chave do gabinete de Jaqueline, que estava em poder da funcionária, não abriu a porta, que permaneceu fechada das 8h até às 12h.

Quando Jaqueline chegou ao 6º andar do Paço Municipal, logo após às 12h, a porta do gabinete dela estava aberta. A vice disse que perguntou para um funcionário sobre o ocorrido e ele teria dito que a nova chave que abre a porta do gabinete dela estaria com o prefeito José Crespo (DEM).

Ele também teria afirmado que partir de agora as portas dos gabinetes do 6º andar deveriam permanecer abertas por cautela de eventual incêndio, segundo recomendação do próprio prefeito.

A assessora da vice, Edith de Oliveira Cardoso, que era contratada como assessora nível 3, teria sido exonerada pela Prefeitura de Sorocaba nesta segunda, logo após o ocorrido, segundo Jaqueline. A Prefeitura foi questionada a respeito, mas até o momento não encaminhou resposta.

Na semana passada, a vice-prefeita registrou boletim de ocorrência contra Crespo na polícia por injúria. O fato foi motivado pelo desentendimento ocorrido no dia 23 de junho, no gabinete do prefeito, entre ele, a vice, o secretário de Gabinete Central, Hudson Zuliani, e a assessora comissionada Tatiane Polis, por conta de uma denúncia anônima recebida por Jaqueline e que levantou suspeitas sobre a veracidade dos diplomas escolares da assessora. O caso já está sendo investigado pela Polícia Civil, pelo Ministério Público, por duas investigações abertas na Câmara de Vereadores de Sorocaba, e também na Corregedoria-Geral do Município.

A vice disse ainda que na sexta (14) a porta de seu gabinete foi fechada normalmente com a chave de costume, e que fica em poder de sua assessora. Porém, quando a funcionária chegou para trabalhar, às 8h, a chave não abria mais a porta do gabinete de Jaqueline, o que a leva a crer que o miolo da fechadura tenha sido trocado. “Quando eu cheguei no 6º andar do Paço, por volta das 12h, a porta estava aberta, mas tinha permanecido fechada das 8h às 12h, porque a chave que estava com a minha assessora não abria mais a porta”.

Em seguida, Jaqueline afirma que perguntou sobre a nova chave para o funcionário e ele teria dito que ela está em poder do prefeito e que por recomendação dele as portas dos gabinetes do 6º andar deveriam ficar abertas por cautela de eventual incêndio. “Onde estão as chaves que abrem a porta? Ate sexta a chave que a minha assessora tinha abria e fechava a porta normalmente. E eu não tinha uma cópia da chave, que ficava com ela”, disse a vice.

Questionada se o fato ocorrido teria sido motivo por retaliação de Crespo, Jaqueline disse que não sabe e que não tem muito a dizer a respeito. “Eu acho que isso aí alguém deve explicar, mas não eu”, disse a vice.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios