Tags

Na manhã desta sexta-feira (7), a Urbes – Trânsito e Transportes registrou mais irregularidades cometidas durante a greve de ônibus por determinação do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região.

Além de diversos ônibus circulando em comboio nas linhas Mineirão (28), Carandá (81) e Itavuvu (25), foram flagrados mais veículos estacionados por longos períodos em pontos finais das linhas, de forma premeditada, deixando a população aguardando, muitas vezes por horas, nos terminais urbanos e nos pontos de ônibus.

Pela manhã, às 6h, 112 ônibus saíram da garagem da STU, o que equivale a 64%. Já a Consor estava com 122 veículos nas ruas, ou seja, 69%. No total, o sistema operou com 234 ônibus (67%). Já o Transporte Especial estava circulando com 50% da frota.

Apesar do número de ônibus que saíram das garagens das empresas, muitos motoristas não obedeceram a tabela programada pela Urbes, por determinação do sindicato, seja com o número de veículos por linha, seja os horários estabelecidos.

Por volta das 6h25, foram flagrados 9 ônibus da linha Aparecidinha via Castelinho (48) estacionados no ponto final da linha, na Vila Nikkey. Já às 7h, mais 3 ônibus da linha Éden (53) parados no ponto final. Além de prejudicar a população, perturba a circulação viária. Os motoristas estão sujeitos às penalidades previstas no artigo do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que prevê multa de R$ 5.869,40, 7 pontos na CNH e suspensão da CNH por 12 meses.

Também nesta manhã, usuários do Transporte Coletivo fizeram um novo protesto na avenida Afonso Vergueiro, em frente ao Terminal Santo Antônio, devido à paralisação. A linha do Campolim, por exemplo, em dias normais deveria operar com 15 ônibus, 11 ônibus atenderia 70% da frota, no entanto estava com apenas 4 veículos atendendo à população.

A fiscalização feita de forma integrada pela Urbes – Trânsito e Transportes, Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM) está ocorrendo durante todo o dia nos pontos finais dos ônibus para não permitir que estes veículos permaneçam por longos períodos nestes locais. Esta situação vem sendo registradas e tudo será comunicado ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

41 linhas sem atendimento

De acordo com a Urbes, 41 das 106 linhas de ônibus não circularam nesta sexta-feira, prejudicando ainda mais a população. São elas: Jd. Sandra, Barcelona, Industrial Vila Rica, Magnólia, Jd. dos Estados / Jd. São Carlos, Hollingsworth, Brigadeiro Tobias, Vila Haro, Mato Dentro, Aparecidinha Via Terra, Astúrias, Cidade Universitária, Paço/W. Luiz, Paço/Vila Santana, Campolim / Gal. Carneiro, Ipatinga, Ipanema das Pedras, Campolim via Raposo, Panorâmico, Caputera, UFSCar, Circular Centro, Brasilândia, Trujillo, Santa Rosália, Carol, Industrial, Guadalupe, Nilton Torres, Porcel, Aparecidinha / Via Éden, Aldeias dos Laranjais, Hungarês, Paes de Linhares, Iguatemi, Iporanga, Paço, Paço/Gal. Osório, Paço/Maria Eugênia, Caguaçú e Bairro dos Carvalhos.

Para auxiliar a população durante a greve, a Urbes disponibiliza informações aos munícipes pelo telefone 118.

Decisão na Justiça

A Urbes comunicou na quinta-feira (6) o TRT e solicitou, em caráter de urgência, a decretação da ilegalidade da greve devido às irregularidades cometidas pelo sindicato da categoria ao longo das paralisações e, caso este não seja o entendimento do juiz, que então seja revista a liminar concedida anteriormente, notadamente para aumentar o percentual da frota a ser colocada em circulação, bem como o aumento das penalidades impostas. Neste momento, aguarda a decisão do tribunal.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios