Tags

,

A vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB) chegou pouco depois das 10h20 desta terça-feira (04) na sede do Ministério Público em Sorocaba, no Alto da Boa Vista, onde prestará depoimento ao promotor de Justiça Orlando Bastos. O MP investiga suspeita de improbidade administrativa da Prefeitura no caso da nomeaç

ão de uma assessora comissionada, do 6º andar do Paço Municipal, que exige ensino superior, mas estaria exercendo a função de forma irregular.

Jaqueline falou com a imprensa antes de iniciar seu depoimento ao promotor e disse que irá relatar tudo o que ela já disse aos jornalistas sobre o caso.

A vice-prefeita afirma que recebeu denúncia anônima, por telefone, há cerca de dois meses e meio sobre supostas irregularidades envolvendo a situação escolar da assessora comissionada Tatiane Polis. A vice disse que ela teria parado seus estudos na 6ª série do ensino fundamental, o que nega a defesa da funcionária.

O advogado dela, Joel de Araújo, disse que sua cliente fez nivelamento de estudos do ensino fundamental em 2006 e em 2007 fez o ensino médio, ambos na modalidade a distância, pelo Colégio Brasileiro do Rio de Janeiro. O advogado afirma que ela fez os cursos e as provas na filial do colégio que funcionou em Sorocaba, próximo ao Fórum velho.

Jaqueline foi convidada pelo promotor para falar no inquérito sobre a denúncia que recebeu, e a polêmica que foi gerada após o fato durante uma reunião na sexta-feira (23), no gabinete do prefeito, entre a vice, Crespo, o secretário de Gabinete Central Hudson Zuliani, e a assessora Tatiane Polis.

Na ocasião, o prefeito José Crespo (DEM), segundo a vice, não teria gostado das investigações feita por Jaqueline sobre a documentação escolar da assessora e o prefeito teria se exaltado com ela e com Zuliani. O episódio também gerou aberturas de investigações contra o prefeito na Câmara de Vereadores de Sorocaba e abertura de inquérito na Polícia Civil, além da investigação do MP.

O MP também oficiou Crespo, o corregedor-geral Gustavo Barata, a assessora Tatiane Polis e o secretário de Recursos Humanos da Prefeito de Sorocaba, Marinho Marte, para que prestem esclarecimentos e apresentem documentos sobre o caso investigado.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios