Tags

Devido à adesão do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região à paralisação nacional, que ocorreu nesta sexta-feira (30), o Terminal Santo Antônio e o Terminal São Paulo foram abertos à população somente às 13h40, quando os ônibus voltaram a circular no município.

De acordo com a Urbes, às 14h20, a empresa concessionária STU circulava com 86 ônibus, o que equivale a 47% da sua frota. Já a Consor estava com 69 ônibus em operação, ou seja, 39%. Neste horário, a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) é que 50% da frota de cada empresa concessionária circule em Sorocaba fora do horário de pico, ou seja, sindicato não estava cumprindo a liminar. No total, o sistema estava com 155 veículos nas ruas de Sorocaba.

Às 15h, STU circulou com 94 ônibus, o que equivale a 52% da sua frota. Já a Consor estava com 89 ônibus em operação, ou seja, 50%. No total, o sistema estava com 183 veículos nas ruas de Sorocaba.

Durante o horário de pico do final da tarde (17h às 20h), o sindicato cumpriu com a liminar somente a partir das 17h40. Neste horário, a STU circulou com 130 ônibus, o que equivale a 71% da sua frota. A Consor estava com 124 ônibus em operação, ou seja, 70%. No total, o sistema estava com 254 veículos (71%) nas ruas de Sorocaba. O Transporte Especial circulou com 90% durante todo o dia.

Os amarelinhos estão posicionados desde as primeiras horas da manhã em pontos estratégicos de tráfego para minimizar os efeitos da paralisação. A central semafórica opera em esquema diferenciado para dar fluidez às vias arteriais. Com o retorno da circulação de ônibus em Sorocaba no período da tarde, as faixas exclusivas de ônibus funcionam normalmente. Os agentes que trabalham no CCO Trânsito (Centro de Controle Operacional) estão auxiliando no monitoramento do trânsito através das câmeras instaladas na cidade. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 118. 

47 linhas sem ônibus

Nesta sexta-feira, 47 linhas não estão operando em Sorocaba. São elas: 01 – Jardim Sandra, 04 – Colorau, 06 – Barcelona, 07 – Industrial Vila Rica, 13 – Santa Isabel/Jardim Europa, 29 – Hollingsworth, 30/1 – Inhaíba/Genebra, 30/2 – Tupã, 32 – Vila Haro, 33 – Mato Dentro, 34 – Aparecidinha via terra, 41 – Gonçalves, 43 – Parada do Alto, 47 – Hortência, 51 – Green Valley, 52 – Cidade Universitária, 64/1 – Paço Washington Luiz, 64/2 – Paço Vila Santana , 66 – Ipatinga, 71/1 –  Panorâmico, 74 – Caputera, 78 – Sabiá, 78/1 – João Romão, 102 – Circular Centro, 301 – Interbairros I, 302-Interbairros II, 304 – Interbairros IV, 305 – Interbairros V, 306 – Interbairros VI, 02 – Brasilândia, 08 – Trujillo, 20 – Carol, 23 – Industrial, 24 – Guadalupe, 26 – Ipanema Bom Jesus, 31/1 – Nilton Torres, 38 – Aparecidinha via Éden, 50 – Hungarês, 54 – Paes de Linhares, 56 – Iguatemi, 61- Iporanga, 64 – Paço, 64/3 – Paço Vila Angélica, 64/4 –  Paço Maria Eugênia, 69 – Caguaçú, 72 – Bairro dos Carvalhos e 75 – Campininha.

Para auxiliar a população durante a greve, a Urbes disponibiliza informações aos munícipes pelo telefone 118 e também nos terminais de ônibus. Além disso, a Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom) está informando as linhas de ônibus que não estão operando na rede social Facebook da Prefeitura de Sorocaba e nas 115 TVs Indoor da Prefeitura, espalhadas em diversos próprios municipais, como nos terminais de ônibus, nas unidades da Casa do Cidadão e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Nenhum ônibus pela manhã

Sorocaba amanheceu sem ônibus do Transporte Coletivo nesta sexta-feira, penalizando ainda mais a população que depende do serviço.  A Urbes – Trânsito e Transportes não foi notificada e informa que o sindicato deveria ter cumprido a liminar do TRT, sob pena de desobediência e de multa diária de R$ 120 mil, além da aplicação das penalidades de cancelamento do registro do requerido.

Em razão disso, a Urbes está tomando todas as providências cabíveis. Inclusive, a Polícia Militar (PM) registrou boletins de ocorrência nas garagens das empresas Consor e STU pelo não cumprimento da decisão judicial. O fato também será comunicado ao TRT, pedindo a aplicação de todas as sanções e, ao final, também a declaração de ilegalidade da greve.

O Terminal Santo Antônio e o Terminal São Paulo permaneceram fechados na manhã desta sexta-feira, já que nenhum ônibus do Transporte Coletivo circulou em Sorocaba, apenas o Transporte Especial.

O trânsito fluiu normalmente para o horário de pico. Para facilitar a fluidez do trânsito, pela manhã, a Urbes liberou a circulação de veículos em todas as faixas exclusivas de ônibus. Já a partir das 10h foram registradas manifestações em ruas do Centro e da Zona Norte e, por consequência, agentes de trânsito e a PM acompanham todo o trajeto e interditaram as vias para a passagem dos manifestantes.

Greve suspensa a partir de sábado

A greve de ônibus fica suspensa a partir deste sábado (1) até o dia 5 de julho, quando então haverá uma nova audiência no TRT, às 10h30, para as negociações de reajuste salarial.

Em meio a uma crise econômica que atinge milhões de desempregados no país, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região insiste em ter aumento real e não aceita proposta das empresas concessionárias na negociação. A Consor e a STU ofereceram reajuste salarial de 3,99%.

Este valor oferecido pelas empresas é superior ao pleito inicial da pauta de reivindicações do sindicato, cujo valor era de 3,59%, correspondente a uma média do valor da cesta de índices. O sindicato da categoria ainda pedia aumento real, aumento na PLR (Participação dos Lucros e Resultados) e também aumento no valor do vale-refeição.

O salário atual do motorista do transporte público de Sorocaba é de R$ 3.410,00 por mês – o maior do país – para uma jornada diária de 6h40. Uma série de benefícios também é concedida à categoria, como plano de saúde, cesta básica, adicional por tempo de serviço, vale refeição, PLR, gratuidade no transporte, entre outros.

Além do reajuste máximo possível diante do cenário atual oferecido pelas concessionárias, o Governo Municipal já prevê um subsídio estimado em aproximadamente R$ 70 milhões neste ano para garantir a manutenção do equilíbrio econômico e financeiro desse sistema.

Portanto, com a preocupação em manter este equilíbrio, bem como os benefícios aos passageiros, a Prefeitura de Sorocaba entende que um aumento nos custos, neste momento, poderia causar um grande desequilíbrio, afetando a qualidade e, consequentemente, causando prejuízos aos seus usuários e também a garantia dos direitos trabalhistas aos empregados do sistema.

Fonte: Agência de Sorocaba de Notícias