Tags

,

A vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB) afirmou ao Cruzeiro do Sul na manhã desta quarta-feira (28) que ainda não retomou suas atividades em seu gabinete no 6º andar do Paço Municipal. Na terça, a Prefeitura de Sorocaba, por meio de nota, afirmou que a vice trabalhava normalmente e que ela só não teria dado expediente na segunda (26).

O Cruzeiro entrevistou Jaqueline nesta manhã por telefone e ela estava em sua residência e não disse uma data para retomar suas atividades como vice-prefeita no Paço Municipal. Ela também confirmou que não trabalhou em seu gabinete desde o episódio ocorrido na manhã de sexta (23).

Conforme o Cruzeiro tinha apurado, Jaqueline não trabalhou no Paço ontem e nem participou pela manhã de um evento oficial na sede da Secretaria da Igualdade e Assistência Social, onde estiveram presentes oito secretários municipais, além do prefeito de Sorocaba, José Crespo (DEM). Além disso, a vaga oficial reservada no estacionamento do Paço para o carro da vice também permaneceu vazia na segunda e na terça.

Sobre as declarações dadas na terça (27) por Crespo para a imprensa, Jaqueline disse que prefere não comentar mais o episódio ocorrido na manhã de sexta-feira (23), entre ela, o prefeito, o secretário de Gabinete Central, Hudson Zuliani, e a funcionária comissionada Tatiane Polis, no 6º andar do Paço Municipal.

Ela confirmou a nota oficial enviada pela Prefeitura sobre a conciliação ocorrida entre a vice, o prefeito e o secretário, porém Jaqueline afirma que houve sim uma “conciliação política-administrativa que visa a governabilidade da cidade”. Sobre o trecho da nota oficial onde é informado que não houve agressões físicas, Jaqueline disse que já falou para a imprensa a respeito e que ela mantém tudo o que já foi dito sobre os fatos ocorridos no gabinete de Crespo. “O que foi dito está dito e não retiro nada, e não retiro uma vírgula”, afirma a vice-prefeita.

Ela também afirma que os fatos ocorreram e que a conciliação tem foco político e administrativo. “Mas sobre a situação fática não retiro nada e como eu já tinha dito houve toque corporal quando eu segurei a mão dele (Crespo) e ele me empurrou, mesmo que tenha sido um ato sem pensar”.

Em relação às afirmações do prefeito sobre a situação funcional da comissionada, Jaqueline disse que também não irá comentar. Crespo disse para a imprensa que a funcionária não será exonerada porque não existe nenhuma irregularidade nos documentos apresentados por ela sobre sua situação escolar.

A vice afirma que não sabe se os diplomas foram devidamente apresentados para a Corregedoria da Prefeitura de Sorocaba e que não compete a ela afirmar ou não a autenticidade dos documentos.

“Já está sendo feita a devida apuração dos fatos em outras instâncias como pela polícia e também pelo Ministério Público. Agora vamos ver como isso vai repercutir”, disse Jaqueline.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios