Tags

Sorocaba sedia, nesta quarta-feira (28), o Encontro para Atualização em Leishmaniose Visceral.

O evento é organizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria da Saúde, e terá 246 participantes, sendo a maioria servidores municipais de Sorocaba, mas também foram cedidas vagas à Prefeitura de Votorantim, à Associação dos Veterinários de Sorocaba e à disciplina de Infectologia da Faculdade de Medicina de Sorocaba (PUC-SP). O evento será no auditório H da Universidade Paulista Unip, das 8h às 12h.

As exposições programadas para o encontro serão realizadas por especialistas na doença, convidados e autoridades em Saúde Pública. Entre os palestrantes convidados para o evento, está Marcos Vinícius da Silva, doutor em doenças infecciosas e parasitárias e médico do Instituto de Infectologia do Instituto Emílio Ribas. Outra palestrante será Aparecida Helena de Souza Gomes, médica do Instituto Adolfo Lutz, doutora em pesquisa laboratorial em Leishmaniose. Pela Vigilância Epidemiológica Municipal, a apresentação será da médica infectologista Priscila Helena dos Santos. Pela Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), a participação será de Isaías Ribeiro da Silva, e o veterinário Ricardo Guimarães Rangel falará da doença na espécie canina.

O objetivo do evento, segundo a enfermeira Solange Ismerim, gestora da Vigilância em Saúde de Sorocaba, é preparar a rede com o conteúdo mais atualizado disponível sobre a leishmaniose. “Tendo em vista não ser uma doença do nosso meio e que tem se mostrado mais próxima, consideramos essencial promover essa oportunidade de atualização”, salienta. Conforme a enfermeira, o evento preparará profissionais da rede pública para reconhecer e conduzir os possíveis casos na suspeita, notificação e tratamento.

Doença de cães e humanos

A Leishmaniose é uma doença que pode acometer cães e humanos, é causada por diferentes espécies do protozoário denominado Leishmania, a partir da picada do mosquito palha (Flebotomíneos) – vetor presente na região de Sorocaba.

A doença se apresenta em dois tipos, sendo a Leishmaniose Tegumentar Americana caracterizada pelas lesões cutâneas, que ocorrem geralmente em áreas do corpo expostas à picada do mosquito. Já a Leishmaniose Visceral é a forma considerada mais grave, por causar aumento de órgãos como baço e fígado e, se não tratada no início, pode evoluir ocasionando, por exemplo, emagrecimento e alterações no sangue como anemia, queda dos glóbulos brancos e plaquetas. Com esse quadro, o paciente torna-se suscetível a outras infecções, podendo morrer.

Em Sorocaba, a forma cutânea da leishmaniose vem sendo registrada há alguns anos, já a forma visceral vem sendo detectada em cães desde 2015, mas não foi observada até o momento em humanos. A cidade vizinha de Votorantim registrou um caso autóctone (local) de leishmaniose visceral em humano neste ano de 2017.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios