Tags

Panelas, chaves, talheres, embalagens plásticas, latas, tampinhas de garrafa, conduítes.

Esses e outros objetos nada teriam em comum não fosse por um detalhe: todos eles produzem sons, e por isso são as atrações do Parque Sonoro criado no início de junho no CEI 68.

Formado por um circuito repleto de traquitanas que geram diferentes sonoridades, o Parque Sonoro tem o objetivo de provocar a curiosidade das cerca de 200 crianças de 0 a 3 anos que estudam na unidade em período integral, desde o berçário até a creche 3, de modo a despertar em cada uma delas a vontade de experimentar novos sons e entrar em contato com o universo sonoro sem a formalidade de fazer música.

“O desafio do parque é aguçar, por meio dos sons, a percepção e a sensibilidade dos nossos alunos para o mundo ao redor, sempre de um modo lúdico, leve e criativo”, explica a orientadora pedagógica da unidade, Vanessa Marconato Negrão, que aprimorou a ideia na rede municipal depois de conhecer o trabalho desenvolvido nos Centros Educacionais Unificados – CEUS de São Paulo.

Para montar a estrutura, a equipe do CEI 68 contou com a colaboração da comunidade, principalmente dos pais de alunos. “Todos participaram da criação doando peças, pintando objetos e até ajudando na montagem”, recorda Vanessa.

Todos os dias, as crianças da unidade passam horas em atividades pedagógicas no Parque Sonoro, em meio a estímulos sensoriais, motores e, sobretudo, auditivos que exercitam sua atenção, sua imaginação e muito irão contribuir para o seu desenvolvimento global.

De acordo com a professora Maria de Neide Alves Mariano, a ideia de usar peças recicladas também ajuda a conscientizar as crianças sobre a importância de reaproveitar e ressignificar materiais. “Brincando no parque elas também aprendem que nem tudo é consumo, que o simples pode fazer toda a diferença e que perceber o mundo por meio dos sons é uma experiência fascinante”, diz.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios