Tags

,

O esgotamento do modelo tradicional das bibliotecas e a necessidade de transformá-las em um novo espaço é um das defesas de um dos principais nomes da biblioteconomia no Brasil, Luís Milanesi.

Professor e autor de livros que servem como base ao ensino da biblioteconomia no país, não por acaso ele é o principal palestrante do 1 Encontro de Bibliotecas e Bibliotecários da Região Metropolitana de Sorocaba, que acontece amanhã (21), das 8h às 13h, na Biblioteca Municipal “Jorge Guilherme Senger”.

O evento é gratuito, voltado para bibliotecários, mas aberto para interessados em geral. O evento é organizado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Cultura e Turismo e da Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas de Sorocaba. Mais informações: (15) 3228-1955.

Para discutir a “Biblioteca do Futuro”, mote do encontro, Milanesi se junta a outros grandes nomes da área para debater diversos aspectos dessa renovação necessária das bibliotecas, são eles: o professor Luis Armando Bagolin; a presidente da Federação das Associações dos Bibliotecários (Febab), Adriana Ferrari e a representante da secretaria de Cultura do Estado, Iliria Plissari.

De acordo com o coordenador da Biblioteca Municipal de Sorocaba, Gilberto Antunes, a ideia do encontro é despertar nos principais atores deste setor o senso crítico diante do cenário iminente de transformações vividas pelas inovações tecnológicas e analisar o comportamento do usuário por conta dessas mudanças. “Vamos discutir o uso desse espaço chamado biblioteca para muito além dos livros, mas como centro de convívio social”. Para ele, há que se pensar no espaço como um local de transformação e que receba eventos como palestras, workshops, oficinas e cursos, e também de entretenimento e cultural, acolhendo espetáculos, performances e exposições.

Práticas inovadoras

A discussão levantada por Antunes é pertinente à defesa de Milanesi: “A biblioteca do futuro bem próximo será um ponto de encontro para ver um filme, uma exposição, um recital de música, participar de um seminário ou de um curso à distância, integrar-se às oficinas, etc. Há muito para explorar. A biblioteca tradicional esgotou-se, mas a nova será mais ampla e mais forte”, defendeu o professor. Para ele, não é apenas a estrutura que precisa passar por essa renovação, mas, sobretudo, o profissional, que deverá saber integrar informação com comunicação para informar o seu público de acordo com as suas necessidades, via construção de sites, por exemplo. Como lembrou, hoje as pessoas não precisam ir atrás de informação, assim, as bibliotecas precisam saber chegar até seu público.

Milanesi que falará da invenção da biblioteca pós Gutenberg reforça a importância de espaços de discussão como esse, para se repensar a estrutura, os profissionais e, sobretudo o público. “Da mesma forma que o brasileiro tornou-se telespectador antes de ser alfabetizado, entramos na era digital sem sermos leitores de livros. Esse panorama tornou-se hostil aos bibliotecários. Mas o impacto tem sido maior nos cursos de Biblioteconomia indecisos em relação ao perfil do bibliotecário que desejam formar. O profissional atua na organização e disseminação do conhecimento – tarefa fundamental na sociedade contemporânea. Mas está buscando novas formas de concretizar esse objetivo. Há crise? Sim, há crise, mas ela está sendo geradora de práticas inovadoras.”

Para o secretário de Cultura e Turismo de Sorocaba, mais do que pensar a função das bibliotecas e os rumos profissionais, é importante a discussão, em âmbito regional, para aproximar as instituições e profissionais que compõem a Região Metropolitana de Sorocaba. “Estamos em um momento de mudanças e se faz urgente a parceria nas mais diversas formas”, salientou.

Serviço: A Biblioteca Municipal “Jorge Guilherme Senger” fica na Rua Ministro Coqueijo Costa, 180, no Alto da Boa Vista. O encontro acontece das 8h às 13h e mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3228-1955.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios