Tags

,

A Santa Casa de Sorocaba está operando “em carga máxima”, de acordo com o secretário de Saúde de Sorocaba, Rodrigo Moreno. Na manhã desta quinta-feira (01), o hospital estaria com 197 pacientes internados e mais 35 aguardando em outras unidades a liberação de vagas pela Central de Regulação de Leitos (CRL).

O secretário manifestou, ainda, interesse em terceirizar o serviço de transporte de pacientes.

As informações foram passadas por Moreno para a rádio Cruzeiro FM durante a manhã, após o noticiário da emissora abordar denúncias de ouvintes que relatavam a presença de pacientes nos corredores do hospital. O secretário afirmou, nas mensagens encaminhadas, que é natural durante o giro do dia, havendo necessidade de internação ou cirurgia, que os pacientes aguardem antes de ir para o quarto. Ele disse ainda que o conserto de um aparelho de ar-condicionado na unidade poderia liberar seis salas de cirurgia do local. O secretário lamentou também que estaria com poucas ambulâncias disponíveis e manifestou a intenção de utilizar veículos terceirizados. De acordo com Moreno, no entanto, não há falta de atendimento, sendo que há médicos e medicamentos na Santa Casa.

Espera

O secretário afirmou que na manhã de ontem existiam 35 solicitações pendentes por vagas na cidade, nos registros da Central de Regulação sendo 14 crianças. Os pacientes estariam aguardando nas Unidades Pré-Hospitalares da zona leste, oeste e norte, Unidade de Pronto-Atendimento, Conjunto Hospitalar de Sorocaba, além de hospitais particulares. Das 14 crianças em espera, três estariam sob a regulação do Estado, e dos 21 adultos um caso estaria com a central estadual.

O secretário avaliou ainda que as UPHs estão lotadas por causa da mudança de tempo e afirmou que “infelizmente, saúde pública não é imediatamente resolvida”.

Em nota, a Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom) informou que no Pronto-Socorro da Santa Casa há pacientes que aguardam nos corredores enquanto ainda estão classificados em situação de emergência e necessitam da assistência naquele serviço. Explicou que “pode tratar-se também de um momento de transição, enquanto aguardam para ser transferidos para setores específicos ou enfermarias”.

Quanto à demanda na Central de Regulação de Leitos, informou que “ela é dinâmica e o número informado era de um determinado momento. A situação oscila de acordo com as altas e adequações dos casos para cada oferta de vaga. Nem sempre todas as solicitações são para a Santa Casa, podem ser para outros hospitais, de acordo com a demanda (complexidade/especificidade do caso)”.

Sobre a terceirização do transporte de pacientes, a nota destaca que está em fase de estudo. A nota diz ainda que das sete salas cirúrgicas, duas estão sem ar-condicionado. Está sendo feito levantamento de custos e da possibilidade de fazer os reparos.

Requisitada

A Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba foi requisitada por determinação do prefeito José Crespo (DEM) no dia 24 de abril pelo período de 12 meses. Mas agora, a Secom informou que “não há um prazo estabelecido para a vigência da requisição”. Segundo a Prefeitura, a decisão visava afastar a diretoria-executiva por irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), garantir a recuperação financeira da entidade e o atendimento regular e completo aos cidadãos.

Até agora, diz a Secom, “foram registradas melhorias em praticamente todos os setores do hospital. A avaliação é de que as gestões que vêm sendo realizadas têm alcançado e superado os objetivos. Com novas aquisições, foram abastecidos os estoques de alimentos e medicamentos, foram abertos 22 novos leitos de enfermaria, voltou a ser garantido plano de saúde aos funcionários, entre outros avanços. Os pacientes estão sendo assistidos e atendidos dentro dos protocolos específicos de cada área”.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios