Tags

Diversas oficinas com orientações que vão desde o treinamento para o mercado de trabalho, instruções para o cultivo de hortas comunitárias, o preparo para prevenir e combater incêndios, debates sobre prevenção ao uso de drogas na adolescência, educação financeira e auxílio a síndicos e corpo diretivo dos 16 condomínios que formam o Residencial Carandá é uma parcela dos atendimentos disponíveis pela Prefeitura às quase 8 mil pessoas que lá residem.

O secretário de Habitação e Regularização Fundiária da Prefeitura, Maurício Campanati, ressalta que ações como essas promovem o reconhecimento das pessoas no local e elevam a estima dos moradores do residencial, além de promover a amizade entre aqueles que buscam atividades saudáveis.

Esse trabalho é realizado pela empresa Sistema Pri, contratada pela Prefeitura no início deste ano, para que desde antes das mudanças iniciasse as orientações às famílias contempladas com os apartamentos por meio do sistema técnico social.

O coordenador social do Sistema Pri, Daniel Francisco Moreira, diz que uma das atividades entre as que ainda estão por vir é a mostra de fotos e vídeos que serão produzidos pelos próprios moradores do Residencial Carandá.

Os moradores de cada um dos condomínios são convidados para participarem, emhorários e dias previamente agendados das atividades. Na manhã desta quinta-feira (25) um grupo de moradores participou do treinamento de prevenção e combate a incêndios. Na tarde da quarta-feira (24) outro grupo recebeu orientações para montar a horta comunitária. A equipe da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins da Prefeitura participa com as orientações e doações das mudas para as oficinas sobre hortas.

A dona de casa, Edna Oliveira, 33 anos, explicou que sabe fazer uma horta, mas as instruções foram importantes para compreender detalhes para fazer uma horta ainda melhor. “A gente nem vai mais precisar ir buscar verduras na feira”, falou sobre o trabalho que incentiva a construção de uma horta comunitária. A também dona de casa Andreza Danielle Ferreira, 31 anos, também se animou com a ideia da horta comunitária.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios