Tags

O presidente da Câmara de Sorocaba, vereador Rodrigo Manga (DEM), pede esclarecimentos à Prefeitura quanto à continuidade este ano do Programa “Crack, é possível vencer?” e do Projeto Redes, ambos em parceria com o Governo Federal e que permitiria o funcionamento de uma série de serviços a esse público, mas que ainda não saíram do papel.

O primeiro foi implementado em Sorocaba no ano de 2015, coordenado pelo Ministério da Justiça e que trata do tema em três aspectos, integrando grupos sociais e trabalhando, simultaneamente, na prevenção, no combate, na reabilitação e na reintegração social do dependente químico. O programa prevê, dentre outras políticas, a capacitação de profissionais das redes de saúde, segurança pública, educação, assistência social, justiça, operadores do direito, lideranças religiosas e comunitárias, agentes do Sistema Nacional de Políticas Sobre Drogas (Sisnad).

Quando o programa foi lançado, Sorocaba foi contemplada com várias ações ligadas à saúde, como o Consultório de rua, as Unidades de Acolhimento Transitório Infanto-juvenil e adulto e um Centro regional de Referência, por meio da Universidade federal de São Carlos. “Mas no momento esses serviços estão desativados, informou a Prefeitura, que está no aguardo de informações oficiais do Governo Federal quanto à continuidade do programa e de quais ações serão ou não mantidas”, destaca Manga.

O vereador fez um requerimento (nº 389/2017) cobrando explicações, mas as respostas foram vagas. “Agora vamos protocolar um novo na próxima semana, querendo mais detalhes. Diante dos males causados pelas drogas, todos os recursos para o desenvolvimento de políticas públicas no combate aos entorpecentes e recuperação dos dependentes químicos devem ser explorados em sua totalidade. Quero mais explicações”, continua.

Pelo programa, estão previstos recursos federais para o desenvolvimento e combate ao uso de drogas nos município, em especial, com a possibilidade de implantação de Enfermarias especializadas em hospitais gerais do Sistema Único de Saúde (SUS); consultórios na rua; Centros de Atenção Psicossocial para Álcool e Drogas (CAPS ad); Unidades de Acolhimento; apoio às comunidades terapêuticas; Programa de Prevenção do Uso de Drogas na Escola; Programa de Prevenção na Comunidade; comunicação e campanhas publicitárias; Centros de Regionais de Referência (CRRs).

Redes

Já pelo “Redes”, em 2016 Sorocaba foi uma das cidades escolhidas para essa parceria com os Ministérios da Justiça, Saúde e Desenvolvimento Social e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no fomento à integração intersetorial no cuidado às pessoas que têm necessidades decorrentes do uso de drogas. Em dezembro do ano passado, uma avaliação realizada em Brasília decidiu pela continuidade do Projeto em Sorocaba para 2017. Um convite para manifestação de interesse para essa manutenção chegou a ser encaminhada à Prefeitura.

“Queremos saber o que foi feito e o que está previsto para este ano. Uma das bandeiras de meu mandato é o combate às drogas, prevenção e recuperação dos dependentes químicos. E vou cobra ações e providências nesse sentido”, finaliza Rodrigo Manga.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios