Tags

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (28) o prefeito José Crespo declarou que o Banco do Brasil (BB) ameaça deixar de autorizar até a sexta-feira (31) a entrega de 672 dos 2.560 apartamentos do Residencial Carandá. O prefeito anunciou providências para sanar essa situação.

“O Banco do Brasil dificultou a implantação do Residencial Carandá, estamos provando com todos os documentos”, disse ao distribuir cópias de ação judicial, e-mails e documentos aos jornalistas.

No intuito de tentar fazer com que os apartamentos estejam à disposição dos contemplados até a sexta-feira (31), Crespo anunciou que busca os auxílios dos Ministérios Públicos Estadual e Federal. Acrescentou que também tenta uma audiência com o Ministro das Cidades, Bruno Araújo, e imediatamente ao momento que a mesma for confirmada irá para Brasília entregar um dossiê que comprove as dificuldades criadas pelo banco.

Os 672 apartamentos que o banco anunciou que deixará de fazer as vistorias para liberá-los nesta semana estão nos condomínios Araucária, Figueira, Jerivás e Macaúba. Os 1.888 apartamentos de todos os demais 12 condomínios foram autorizados por todas as partes e estão sendo entregues aos contemplados desde o último sábado (25).

O prefeito revelou que dos 12 condomínios entregues, a Prefeitura precisou entrar com ação judicial com pedido de liminar no sábado, para conseguir a liberação de dois deles, já que o banco só havia liberado a entrega de somente dez. A entrega foi autorizada pela juíza Gláucia Cyrillo Pereira, já que estavam prontos e habilitados para serem habitados.

Atribuiu que a informação do Ministério das Cidades passada à imprensa no último sábado (25), que a Prefeitura teria entregue as chaves “à revelia” e com “irregularidades”, deu-se porque o banco prestou dados equivocados ao Governo Federal. Também expôs que o BB teria proibido a construtora de continuar entregando as chaves dos apartamentos já liberados, determinação essa que deixou de ser cumprida pela empresa.

José Crespo afirmou que, por telefone e sem o envio de qualquer documento ou mensagem por escrito, a superintendência do BB declarou que não seguiria com as vistorias para entregar as demais moradias prontas. O prefeito atribuiu essa situação a “forças ocultas” que tenham atuado nos últimos dias, levando informações incompletas e distorcidas.

Explicou que o órgão representante do Ministério das Cidades junto ao Residencial Carandá é o Banco do Brasil e que, quem tem a posse das chaves e faz a entrega é a empresa que construiu o residencial, a Direcional Engenharia S.A.

Junto com o prefeito, participaram da entrevista coletiva, a primeira dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Lílian Crespo; a vice-prefeita e coordenadora da força tarefa para a entrega do Residencial Carandá, Jaqueline Coutinho; o secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Maurício Campanati; o secretário do Gabinete Central, Hudson Zuliani; o secretário de Comunicação e Eventos, Eloy de Oliveira; o secretário de Relações Institucionais e Metropolitanas, Anselmo Rolim Neto; o secretário de Assuntos Jurídicos, Eric Rodrigues Vieira; o secretário de Recursos Humanos, Mario Marte Marinho Júnior, o secretário da Fazenda, Fábio de Castro Martins e a secretária da Educação, Marta Cassar.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios