Tags

Há sete anos novos carteiros não são contratados para trabalhar nos Correios de Sorocaba. A afirmação foi feita durante reunião entre representantes da empresa pública e o vereador Péricles Régis (PMDB), nesta segunda-feira (27), na Câmara Municipal de Sorocaba. Segundo eles, a estrutura atual é menor do que a cidade já teve um dia.

Após inúmeras reclamações de moradores de bairros de todas as regiões da cidade com problemas na entrega de correspondências, Cesar Tadeu Menezes Reis, gerente regional de Vendas dos Correios, e João Marcelo, coordenador de atendimento, foram recebidos pelo vereador do PMDB em seu gabinete.

Desde o início do ano, o mandato já protocolou requerimentos que tiveram respostas da Prefeitura, outros que ainda estão em tramitação, além de ter recebido várias queixas dos sorocabanos.

Pouco antes da reunião, Péricles ainda fez uma publicação em sua página no Facebook questionando à população como estava o serviço, e em menos de uma hora, mais de 50 novos casos foram relatados pelos seguidores. “Tem gente que reclama que as correspondências não são entregues e outros que estão chegando com muito atraso. Locais onde o carteiro passa uma vez a cada 15 dias, ou uma vez por mês.

Com isso, muita gente tem prejuízos, como por exemplo, com as contas que chegam bem depois da data de vencimento, e precisam ser pagas com juros”, explica o vereador.

Todos esses dados foram demonstrados aos representantes dos Correios, que explicaram que Sorocaba chegou a enfrentar problemas de distribuição há alguns anos porque alguns bairros não atendiam todas as especificações da Portaria Federal 567 de dezembro de 2011, que determina as condições mínimas para a entrega de correspondências.

Os representantes também explicaram que alguns bairros não têm volume de correspondência suficiente para que seja destacado um carteiro específico para o local.

Segundo eles, existem duas soluções possíveis para alguns casos citados durante a reunião: a instalação de Agências Comunitárias dos Correios – que depende de contrapartida da Prefeitura (como funcionários e estrutura); e a disponibilização de caixas postais comunitárias (que também dependeria de um apoio municipal), mas que atende um número reduzido de pessoas e serve apenas para bairros de pequeno porte.

A reunião tratou ainda do fechamento das agências que funcionavam dentro das Casas do Cidadão do Éden e Avenida Ipanema, que ocorreu, segundo os funcionários, por questões de planejamento e diminuição de custos desta instituição.

A instrução é que os moradores destas regiões que não estiverem recebendo correspondência em casa procurem a agência da Avenida Itavuvu.

“Agora vamos agir em duas frentes. Primeiro um ofício ao diretor-regional do Correios, Wilson Abadio, que fica em Bauru, para solicitar formalmente um levantamento dos locais em Sorocaba que têm problemas para a entrega de correspondências.

Com base na resposta, se faltar estrutura municipal, vamos preparar requerimentos à Prefeitura sobre aquilo que eventualmente for da responsabilidade dela, incluindo as alternativas de agências e caixas postais comunitárias”, diz o vereador Péricles.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios