Tags

Caixas, colchões e gaiolas. Alguns animais no colo de crianças e a felicidade estampada no rosto de todos. O que era ansiedade dava lugar a largos sorrisos assim que os caminhões de mudança deixavam a rodovia e entravam no Residencial Carandá.

Olhares tímidos, aos poucos os vizinhos iam se reconhecendo. Um bom dia, outro aceno. Gentileza de quem vai conviver no mesmo espaço de hoje em diante.

Barracas e tendas do poder público davam amparo aos novos moradores. A Habitação, de um orgulhoso Secretário Maurício Campanati, orientando quanto a localização das residências ou onde parar os caminhões. Organização primorosa desse grande evento que foi a realização da entrega de um dos maiores complexos habitacionais do País.

Entre as famílias já instaladas, primeiras a chegar, a sensação de alívio e os cumprimentos. ‘Olha, é o prefeito’, gritou alto uma senhora da sua janela. ‘Sobe aqui em casa’. E o prefeito foi. Ainda sem poder servir um café, já que ‘na mudança tudo fica em caixas’ ela fez questão de agradecer pelo novo lar.
Em três mesas instaladas debaixo de uma árvore estavam as funcionárias da Secretaria da Educação informando sobre processos de transferências – afinal as crianças do Carandá vieram de todos os lados da cidade.

Acompanhando o prefeito quase todos os secretários municipais. Muitos, como Roberto Freitas, do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, já apontando ações para a região: “quero montar uma base da Universidade do Trabalhador aqui, um projeto grande de qualificação para ajudar os moradores do Carandá”.

Roberto estava caminhando ao lado de outro secretário com motivos para se orgulhar: Rodrigo Moreno, da Saúde, que conseguiu, em tempo recorde, estruturar uma Unidade Básica de Saúde para atender o complexo residencial.

Diante dos olhos de todos, o início de uma nova e importante região de Sorocaba. Enquanto num abraço longo o prefeito José Crespo se despedia da vice-prefeita Jaqueline Coutinho e a agradecia por ter chefiado a força tarefa que possibilitou a entrega do Carandá, uma moradora dizia para a outra: ‘a partir de hoje eu tenho a esperança no amanhã’.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios