Tags

A Prefeitura de Sorocaba montou uma ação especial de mudança para as 257 famílias que habitam áreas de risco e que estão contempladas no Residencial Carandá.

Haverá uma equipe de apoio formada por representantes de nove secretarias, além do SAAE, da Urbes e da CPFL, para ajudar na saída e chegada dos moradores.

“A operação é necessária, porque as moradias nas áreas de risco terão de ser destruídas logo após a saída dos ocupantes. A nossa intenção é que ninguém ocupe esses locais após a mudança. Ao mesmo tempo esses moradores são os mais desprovidos de condições para a mudança”, disse a vice-prefeita Jaqueline Coutinho, que comandou uma reunião para discutir essa questão na manhã desta segunda-feira (20).

Todas as famílias das áreas de risco já foram comunicadas sobre as datas e condições para as mudanças. O secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Maurício Campanati, disse que assistentes sociais da pasta vão checar se o núcleo familiar é o mesmo do cadastro feito pela Prefeitura. Se não o cadastro não for igual, o beneficiário não poderá se mudar imediatamente, pois ninguém ficará na mesma área.

Para garantir que a ocupação dos apartamentos no residencial obedeça a lista dos beneficiários e para que não haja invasão de apartamentos nos quais os proprietários ainda não tenham se mudado, os síndicos e subsíndicos vão cuidar da organização interna com a ajuda de seguranças da construtora e ainda contarão com o apoio de policiais militares e civis e com a Guarda Municipal.

Outra questão que será observada e que já foi conversada com os moradores é em relação aos animais domésticos. Os moradores já estão cientes de quais animais levarão para o Carandá e já arranjaram destinação para os que não forem. Estes deverão ficar com parentes e amigos. A Secretaria de Meio Ambiente, Parques e Jardins fará a fiscalização para o cumprimento disso. O Setor de Zoonoses cuidará da avaliação da saúde dos animais que irão para o residencial.

A Secretaria de Saúde disponibilizará uma ambulância para prestar socorro em eventuais acidentes, já que os moradores terão de desmontar eles próprios as estruturas de suas moradias. Gilmar Ezequiel de Oliveira, secretário-adjunto de Segurança e Defesa Civil, disse que o SAAE e a CPFL acompanharão as mudanças para evitar acidentes com energia e água e fazer cortes de fornecimento.

O secretário de Comunicação e Eventos, Eloy de Oliveira, afirmou que será montado um núcleo de prestação de informações sobre o Carandá para atender a imprensa durante a mudança não só dos moradores de áreas de risco, que começa no dia 27, como de todos os demais futuros moradores, que começa no dia 25. “Nossa intenção é ajudar os profissionais a realizarem o seu trabalho mais rapidamente”.

O Residencial Carandá receberá 2.560 famílias entre os dias 25 e 31 de março, com mudanças divididas por andar e condomínio, cujo cronograma foi divulgado no Jornal do Município. As famílias estão orientadas sobre o dia e horário das mudanças e deverão cuidar do transporte da sua mobília dentro dessa programação e da acomodação dos móveis, embora vá haver equipes da Prefeitura no local.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios