Tags

Após o rompimento de uma adutora, em janeiro deste ano – que interrompeu o abastecimento de água na cidade por duas semanas –, uma Comissão Especial foi criada na Câmara Municipal de Sorocaba com o intuito de discutir a situação atual do abastecimento de água no município e propor ações que previnam futuros acidentes.

A primeira ação de trabalho da Comissão, composta pela vereadora Iara Bernardi (PT), Fausto Peres (PTN), Hudson Pessini (PMDB) e João Donizeti (PSDB), está sendo realizada nesta quarta-feira, 15, a partir das 8h30, na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Cerrado.

Além dos vereadores, devem comparecer, também, o assessor técnico do Comitê de Bacias Hidrográficas dos Rios Sorocaba e Médio Tietê, André Cordeiro, e o representante da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Sorocaba (AEAS), Valdir Paezani. O grupo será recebido pelo diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), James Vasconcelos.

De acordo com a vereadora Iara, de quem partiu a iniciativa de criar a Comissão, um dos principais pontos que será questionado durante a visita à ETA é a capacidade atual de reserva de água do município. “Queremos saber, ainda, em que pé estão as obras, em uma das adutoras, que foram abandonadas pela empresa ECL Engenharia e Construções”, afirmou a vereadora.

Nas próximas semanas, a Comissão também visitará outros locais estratégicos, como as represas de Itupararanga e Éden e pontos críticos das adutoras, além de órgãos públicos e entidades, Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), Comitê de Bacias dos Rios Sorocaba e Médio Tietê, Conselho Gestor da APA de Itupararanga, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e Associação Comercial de Sorocaba.

A expectativa é que a Comissão conclua todas as visitas dentro de 45 dias para, posteriormente, ser elaborado um relatório com apontamentos técnicos sobre a situação atual do abastecimento de água e possíveis soluções. “Nosso trabalho não deve se limitar à fiscalização apenas. Queremos propor ações práticas, que resolvam o problema em definitivo”, concluiu Iara.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba