Tags

Mais quatro pacientes do Polo de Desistitucionalização Vera Cruz deixaram o hospital nesta semana e foram transferidos para residências terapêuticas em seus municípios de origem.

Os ex-moradores foram destinados a Boituva, Aricanduva e Amparo. Atualmente, restam no Hospital Psiquiátrico Vera Cruz 269 pacientes crônicos, deste total a maior parte é de outras cidades, até de outros estados, e 100 são atualmente considerados de Sorocaba, entre pacientes que têm comprovação de origem na cidade e outros classificados como abandonados e que são adotados pelo município.

As quatro altas foram marcadas pela emoção da equipe que trabalha no hospital e dos pacientes. Para a cidade de Amparo, na manhã desta terça-feira (14), partiu sob manifestações de comoção e alegria o paciente Ilário Aparecido Preto, de 41 anos. Muito afetivo com os funcionários, Ilário era presença constante no setor administrativo do hospital onde informava sobre suas tarefas diárias e pedia para ir embora “para uma casinha”, fazendo com as mãos o gesto representativo de um telhado.

A cada alta de outros pacientes, ele sempre se manifestava perguntando se havia chegado a sua vez e, quando finalmente chegou o dia, fez questão se estar bem arrumado, de camiseta nova, boné e tênis, e com todos pertences organizados. “É hoje. Eu vou embora hoje”, repetia para os outros pacientes e para os funcionários. Muitos não contiveram as lágrimas ao ver a satisfação de Ilário. “Ele fez questão de trocar de roupa para sair. Ilário conversava comigo todos os dias, vou sentir falta dele”, comentou Luís Fernando Oréfice, assistente administrativo do hospital.

A localização da família de Ilário é uma das histórias especiais do processo de desinstitucionalização da saúde mental em Sorocaba. Em seus relatos, o paciente se referia à cidade de São Paulo como seu local de origem, mas a assistente social Maria Célia Lopes Antunes, da coordenação de saúde mental de Sorocaba, não se satisfez com essa informação e se dedicou a buscar e vasculhar prontuários antigos. “Acabei encontrando alguns dados de uma família em Amparo e consegui localizar e confirmar que são parentes dele, por isso ele está indo para lá”, explicou.

Na segunda-feira (13), um homem e uma mulher mudaram-se para a cidade de Aricanduva e foi transferida em ambulância uma paciente acamada para a cidade de Boituva. Por necessitar de cuidados especiais, a paciente deixou a enfermaria sob a atenção dos funcionários e foi acompanhada pela coordenadora de saúde mental de Boituva, Eliedai Siqueira.

Ela explica que o município conta com uma residência terapêutica instalada no ano passado e que abriga cinco moradoras, sendo uma transferida do Vera Cruz. Para receber a paciente acamada, explicou a coordenadora, foram necessárias algumas medidas técnicas e a ampliação da escala de enfermagem de seis para doze horas diárias. “Assim que conseguimos providenciar esses ajustes estamos aqui para levá-la”, comentou.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios