Tags

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, a Câmara Municipal de Sorocaba realizou a entrega do Diploma Mulher-Cidadã Salvadora Lopes e também o Título de Cidadã Emérita Comunitária a mulheres que se destacam na luta pelos direitos das mulheres e em defesa da cidadania.

A iniciativa foi do vereador José Francisco Martinez (PSDB) e as homenagens foram entregues em sessão solene realizada na noite da última quarta-feira, 8, que contou com a presença do prefeito José Crespo.

Além de vereador Martinez, que presidiu a solenidade, e do prefeito José Crespo, a mesa de honra dos trabalhos foi composta pelas seguintes autoridades: vice-prefeita Jaqueline Coutinho; ex-vereadora e pastora Neusa Maldonado (PSDB), representando a deputada estadual Maria Lúcia Amary (PSDB); e Laelso Rodrigues, presidente do Conselho Superior da Fundação Ubaldino do Amaral. Também estiveram presentes a vereadora Iara Bernardi (PT) e os vereadores Hudson Pessini (PMDB), Péricles Régis (PMDB) e Wanderley Diogo (PRP).

Receberam o Diploma Mulher-Cidadã Salvadora Lopes as seguintes homenageadas: Norma David Stefan, Tania Maria Batista, Miriam Burdin Berigo, Márcia Cristina Rodrigues e a primeira-dama do município Lilian Marangoni Crespo. Já o Diploma Cidadã Emérita Comunitária foi entregue a Rute Gargano Ramos da Silva.

“As homenageadas desenvolvem um imprescindível trabalho de valorização da mulher em nossa sociedade e, sem dúvida, fazem por merecer esse reconhecimento da Câmara Municipal em nome do povo sorocabano”, afirma o vereador José Francisco Martinez, proponente da homenagem.

O evento contou, ainda, com apresentações musicais da banda Ritantes, que se dedica ao repertório da cantora e compositora Rita Lee, composta pelos músicos Jurema Nascimento (vocal), Nilton Leal (guitarra), Auro Camargo (teclado), Luís Alberto (baixo) e Amaral (bateria).

Mulheres homenageadas – Norma David Stefan é natural de São Paulo, onde nasceu em 1931, filha de imigrantes sírios. Casou-se com o empresário sorocabano Moysés Stefan, com quem teve três filhos. Atuou como empresária do setor de modas e também no ramo de supermercados, juntamente com o marido. Foi fundadora e dirigente, durante nove anos, do Clube de Mães do Lions Club Sorocaba-Centro, desenvolvendo um intenso trabalho filantrópico entre as famílias mais carentes.

Tania Maria Batista é paulista de Eldorado, onde nasceu em 1964. Casou-se com José Carlos Batista, com quem teve dois filhos. Mudou-se para Sorocaba em 1985, passando a trabalhar com decoração de eventos, consolidando-se como empresária do ramo e contribuindo para gerar emprego e renda no município.

Miriam Burdin Berigo é natural de Bragança Paulista, onde nasceu em 1962. Formada em Direito, trabalhou na área jurídica. Oriunda de uma família evangélica, desde pequena desenvolveu trabalhos na igreja, juntamente com seus pais. Casou-se com o pastor Gilson Antunes Berigo, com quem teve duas filhas e desenvolve um trabalho pastoral em Sorocaba, para onde veio em 1993.

Márcia Cristina Rodrigues é natural de Sorocaba, onde nasceu em 1961. Formada em Direito e empresária, integra a Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul, da Loja Maçônica Perseverança III de Sorocaba, e foi presidente nacional das Fraternidades Femininas Cruzeiro do Sul, entidade paramaçônica ligada ao Grande Oriente do Brasil. É presidente da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer.

Lilian Marangoni Crespo, primeira-dama do município, é natural de Sorocaba, onde nasceu em 1955. Casou-se com José Crespo, atual prefeito, em 1980. Graduada em Relações Públicas pela PUC de Campinas e em Direito pela Fadi (Faculdade de Direito de Sorocaba), é funcionária da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), lotada na Agência Ambiental de Sorocaba. Atualmente, preside o Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Sorocaba.

Rute Gargano Ramos da Silva, descendente de italianos, cursou a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, formando-se em Pedagogia. Casada com o cirurgião-dentista Eurípedes Ramos da Silva. Ajudou a fundar o Lyons Clube Sorocaba Sul e desenvolve um intenso trabalho social junto a creches, asilos e orfanatos.

Salvadora Lopes – O Prêmio Salvadora Lopes foi instituído em homenagem à primeira mulher a ser eleita vereadora em Sorocaba, a operária e sindicalista Salvadora Lopes, e confere, anualmente, o Diploma Mulher-Cidadã a mulheres de diferentes áreas, que se destacaram em defesa dos direitos das mulheres e a cidadania, contribuindo, dessa forma, com o desenvolvimento social do município.

Líder operária e pioneira do movimento feminista na região, Salvadora Lopes nasceu em Avaré, em 1918, numa família de espanhóis, e veio para Sorocaba com apenas dois anos de idade. Antes de completar dez anos, deixou a escola e foi trabalhar na indústria têxtil. Em 1930, com apenas 12 anos, participou de sua primeira greve e, aos 21 anos, já era uma líder operária respeitada, chegando a ser presa.

Em 1947, Salvadora Lopes foi eleita vereadora em Sorocaba, mas não tomou posse. Seu partido, o PST, foi indeferido no município pela Justiça Eleitoral e seus 14 vereadores eleitos, praticamente a metade da Câmara Municipal da época, composta de 31 membros, foram cassados. Salvadora Lopes morreu em 19 de dezembro de 2006, aos 88 anos. Sua vida está retratada no livro Salvadora!, do historiador Carlos Cavalheiro, e em um documentário produzido por Werinton Kermes e Miriam Cris Carlos.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios