Tags

O vereador Francisco Moko Yabiku (PSDB) apresentou um requerimento, aprovado na sessão legislativa desta terça-feira (9), com questionamentos à Prefeitura de Sorocaba se estão sendo tomadas as providências administrativas visando a reforma do gramado do Estádio Municipal “Walter Ribeiro” (CIC).

Ex-secretário de Esporte e Lazer, Yabiku lembra que a pasta apontou as necessidades do serviço em junho de 2015, processo licitatório suspenso após intervenção do Comitê de Otimização do Gasto Público (Cotim). Ele alerta que, se providências não forem tomadas rapidamente, o estádio pode não estar apto a receber os jogos do São Bento em 2017.

A Prefeitura renovou completamente o gramado do CIC pela última vez entre os anos de 2005 e 2006, com a substituição da grama e a modernização dos sistemas de drenagem e irrigação. De lá para cá, embora passe por manutenção periódica, o campo sofre o desgaste natural provocado pelo tempo, condições climáticas, o uso constante para jogos e treinos das equipes profissionais e das categorias de base do São Bento e Atlético Sorocaba, partidas do Campeonato Municipal de Futebol Varzeano, dentre outras competições.

Por esta razão, em junho de 2015, a Semes apontou a necessidade de uma reforma completa do gramado, confirmada após vistoria por engenheiro agrônomo da Secretaria de Meio Ambiente (Sema). A partir daí, a Semes e a Secretaria da Administração (Sead) tomaram providências visando à abertura de processo licitatório para a contratação dos serviços de reforma e manutenção do gramado do CIC, “com as cessões de maquinário, insumos e mão de obra especializada”.

Necessidade urgente

Entretanto, por orientação, do Cotim, a Prefeitura suspendeu a licitação para substituição do gramado do CIC, estimada em R$ 560 mil. Houve então a abertura de um novo processo licitatório, no valor de R$ 140 mil, o que não atraiu empresas interessadas e foi cancelado. Em razão do cenário, no início de 2016, a Semes contratou uma manutenção emergencial por meio de compra direta, no valor de aproximadamente R$ 8 mil.

De acordo com Yabiku, apesar do atraso no prazo provocado pelo Cotim, a Semes seguiu os procedimentos administrativos corretamente, assim como a empresa contratada. Afinal, com exceção da estreia, o São Bento jogou todo o Paulistão em casa, contribuindo com histórica campanha na competição: 5º lugar e classificação para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D em 2016 e 2017. “Além de prejudicar o trabalho, o Cotim ainda induziu o prefeito Pannunzio ao erro, pois ele admitiu à imprensa uma culpa que não tinha e, equivocadamente, levou o caso à Corregedoria Municipal”, afirma.

Como a manutenção realizada no mês de janeiro foi emergencial e o CIC continua sendo usado constantemente, Yabiku considera imprescindível uma intervenção no gramado. “A Federação Paulista de Futebol foi clara: sem uma reforma, o CIC não será liberado em 2017. O ideal seria a renovação completa do gramado, mas, caso não seja possível agora, há soluções técnicas alternativas que demandam menos tempo e menor custo. Porém, é preciso agir rápido, para o cumprimento dos prazos legais exigidos”, alerta.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba