Tags

, ,

O ex-vereador de Sorocaba Emílio de Souza Oliveira, mais conhecido como Ruby, foi condenado em primeira instância por improbidade administrativa e teve seus direitos políticos suspensos por dez anos, pela acusação de cobrar “mensalinho” de seus assessores, durante a legislatura passada — os fatos teriam ocorrido antes de ele ser afastado da Câmara, no dia 6 de julho de 2012, por determinação judicial.

Além da perda dos direitos políticos, em sua sentença a juíza Karla Peregrino Sotilo, da Vara da Fazenda Pública, condenou Ruby a pagar uma multa igual a três vezes o valor supostamente obtido de seus servidores comissionados à época. O valor da ação, segundo os autos, é de R$ 107,2 mil.

Despesas eleitorais – A ação civil pública contra Ruby foi movida pelo promotor Orlando Bastos Filho em 2012, a partir de denúncias — feitas pelos próprios funcionários de gabinete — de que o ex-vereador ficaria com parte dos salários de assessores para pagamento de despesas com campanhas eleitorais. Na ocasião, os cinco assessores parlamentares recebiam R$ 3.590,50 e o chefe de gabinete R$ 4.488,13.

Recursos – Ruby foi procurado para se manifestar sobre o assunto, mas não foi localizado. Já um de seus advogados, Flávio de Castro Martins, informou na tarde de ontem que já houve a apresentação de embargos de declaração na tentativa de conseguir que a juíza reconsidere sua decisão. Em caso de indeferimento, o ex-vereador poderá apresentar recurso de apelação no Tribunal de Justiça de São Paulo.

“Vamos avaliar” – O presidente do PSD em Sorocaba, deputado federal Jefferson Campos, disse ontem, por meio de nota, que o partido está “estudando” seu posicionamento diante da desistência de Renato Amary (PMDB) em concorrer à Prefeitura de Sorocaba.

Até então, o PSD apoiava Amary para prefeito. “Com a nova configuração do cenário eleitoral em Sorocaba, há novos aspectos que precisam ser analisados. Ainda estamos estudando e ouvindo as bases para definir qual será o nosso posicionamento”, disse.

Novo socorro – Em meio a um cenário de dificuldades com a arrecadação de receitas, a Prefeitura de Sorocaba tem realizado diversos remanejamentos de verbas entre secretarias para adequar o orçamento e permitir a realização de pagamentos e outras despesas. Ontem, o jornal Município de Sorocaba trouxe um novo remanejamento destinado a atenção básica da saúde, no valor de R$ 3,4 milhões. Os recursos para cobrir o “socorro” virão de dotações previstas até então para cumprimento de emendas parlamentares e manutenção urbanística.

Consultoria – A Urbes, empresa pública responsável pelo gerenciamento do trânsito em Sorocaba, contratou por R$ 139,3 mil a empresa Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito Ltda., visando à prestação de serviços de contagens veiculares e consultoria em reprogramação semafórica.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul