Tags

,

Os sorocabanos já podem desfrutar de um espaço especialmente construído para servir de refúgio para a fauna da área urbana do município. Na manhã deste sábado (dia 7), o prefeito Antonio Carlos Pannunzio inaugurou a Praça da Biodiversidade, numa área de aproximadamente seis mil metros quadrados localizada na marginal direita do rio Sorocaba, entre as pontes do Pinga-Pinga e Fernando de Luca.

“Este é um momento especial, de celebração da natureza, com a inauguração de um projeto ousado e inovador. Esta praça vai contribuir e muito, dando espaço para microambientes, que vão ajudar a diminuir a emissão de gás carbônico, produzir oxigênio e preservar às margens do rio Sorocaba. Sorocaba ganha muito com esta obra”, destacou o prefeito.

Iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), a Praça da Biodiversidade é um espaço conceito no qual elementos da flora local e outras estruturas foram implantados, com o objetivo de possibilitar abrigo e alimentação para animais da região, particularmente de pássaros, funcionando como um refúgio da biodiversidade. A implantação da praça integra os projetos prioritários do Programa “Sorocaba a Cidade da Biodiversidade”, que visa fomentar medidas ousadas e inovadoras com relação à biodiversidade, com vista a assegurar os serviços dos ecossistemas existentes na cidade.

Na solenidade Pannunzio fez um agradecimento especial aos grafiteiros Will Ferreira e Michel Japs, do Fite Art, que estavam presente na solenidade de inauguração e foram os responsáveis pela obra de arte feita na pá eólica de cerca de quarenta metros, que está apoiada horizontalmente na pequena ilha do brejo. “Vocês nos ajudaram muito para o processo educativo da nossa comunidade através da arte. Muito obrigado pelo trabalho”, enfatizou.

O secretário do Meio Ambiente Clebson Ribeiro agradeceu a todos os funcionários públicos que ajudaram na implantação da Praça da Biodiversidade e também todos os apoiadores. “Estamos muito felizes, pois estamos inaugurando não apenas uma praça, mas um conceito de urbanização. Aqui é mais um refúgio da biodiversidade feito a muitas mãos numa ação inovadora, pensando na qualidade do rio Sorocaba”, destacou. O titular da pasta ainda relembrou outras iniciativas que vem sendo feitas ao longo dos últimos anos em prol do meio ambiente, como os plantios de árvores às margens do rio, a inauguração do Centro de Educação Ambiental do Rio Sorocaba (CEA Rio Sorocaba) e a implantação do Parque Linear.

Após o descerramento da placa de inauguração, o prefeito e as autoridades locais ainda plantaram uma muda de cambará no local.

Também participaram da inauguração a vice-prefeita Edith Maria Di Giorgi, secretária de Desenvolvimento Social, os vereadores Fernando Moko Yabiku e Carlos Leite, e os secretários João Leandro da Costa Filho (Governo e Segurança Comunitária), Oduvaldo Denadai (Serviços Públicos), Ivana Back (Gabinete do Poder Executivo), Rodrigo Maldonado (Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae), Flaviano Agostinho de Lima (Educação), Adriana de Oliveira Rosa (Corregedoria Geral do Município), Pedro Vial (Inova Sorocaba) e Benedito da Silva Zanin (Guarda Civil Municipal).

O mais novo refúgio da biodiversidade

A Praça da Biodiversidade foi planejada para ser um local com condições para abrigar árvores e plantas, além de insetos e pequenos animais, principalmente os pássaros, seja para moradia, alimentação e até mesmo para a proteção, reunindo o maior número possível da biodiversidade existente na área urbana de Sorocaba. No local já foram vistos irerê, quero-quero, pererecas, sapos, libélulas, carcará, anu-branco, anu-preto, capivaras, entre outros animais.

No novo espaço a população tem a oportunidade de conferir os dois biomas existentes na cidade – Mata Atlântica e Cerrado – e conhecer um pouco mais da flora e da fauna que habitam Sorocaba. Para isso, foram plantadas 1.100 árvores de espécies nativas no local, como sibipiruna, jequitibá, quaresmeira e jerivá (exemplares da Mata Atlântica), e cambará, jatobá, ipê-amarelo, ipê-branco, angico-do-cerrado e barbatimão (representando o Cerrado). Além disso, o entorno da Praça da Biodiversidade ganhou outras 300 árvores nativas.

A população pode acessar todos os lugares que tenham vegetação. “A ideia é que as pessoas venham aqui, pisem na grama, façam piquenique e observem os elementos deste espaço”, destaca Welber Smith, diretor de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente.

A Praça da Biodiversidade também tem um brejo – ambiente aquático existente na região de Sorocaba – no qual foram plantadas diversas taboas. Outro atrativo são os jardins nativos para abelhas espalhados pela praça e nos quais foram colocados arbustos, pequenas árvores e herbáceas, que servem como puleiros e moradia de insetos, principalmente abelhas. O espaço também ganhou cerca de 50 ninhos de cerâmicas produzidos especialmente pelo oleiro sorocabano Michel da Cunha.

Além disso, a Praça da Biodiversidade conta com calçada acessível, ciclovia, paraciclo e iluminação com lâmpadas de tecnologia Diodo Emissor de Luz (LED). A vantagem em aplicar o LED na iluminação urbana é que a tecnologia utiliza menos energia para uma mesma iluminação. Outro ponto a destacar é que oferecem maior durabilidade, não contém mercúrio e tem alto índice de reprodução de cores, o que possibilita uma acentuada melhora na percepção de elementos que integram a paisagem urbana. A implantação deste tipo de iluminação na praça é resultado de uma parceria entre Secretaria do Meio Ambiente e o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, por meio do Projeto Urban LEDS (Promovendo Estratégias de Desenvolvimento Urbano de Baixo Carbono), do qual Sorocaba participa.

Para trabalhar a Educação Ambiental com a população, a Praça da Biodiversidade ainda conta com nove placas educativas sobre os biomas e as espécies locais.

A estudante de Engenharia Ambiental da UFSCar, Barbara Bourroul de Melo, moradora do Wanel Ville, foi conhecer a Praça da Biodiversidade e achou o local muito especial. “Achei maravilhoso, gostei muito da iniciativa de criar uma área para a preservação da biodiversidade. Muitas pessoas não sabem a quantidade de espécies que existem aqui na cidade e este espaço vai servir para que a população se aproxime deste tema”, comentou. “Sorocaba foi inovadora, pois é muito difícil ver cidades grandes como esta pensando no meio ambiente, um município que quer plantar árvores e preservar suas espécies, e isso é muito legal”, valorizou.

A jovem ainda levou seu irmão Felipe Bourroul de Melo, de 8 anos de idade, para conhecer o espaço. “Adorei a pintura da pá eólica e estes locais para passarinhos se esconderem”, afirmou o garoto.

Atividades educativas

Quem foi ao local na manhã deste sábado pode participar de algumas atividades educativas realizadas pela Secretaria do Meio Ambiente. Uma delas foi uma exposição com mais de 20 espécies de animais taxidermizados (empalhados) existentes na área urbana de Sorocaba. No local, monitores ainda explicaram às pessoas sobre a importância da biodiversidade e a correlação com os ambientes representados na Praça da Biodiversidade.

Os motoristas que passaram pelo entorno da praça também foram abordados na 8ª Blitz da Biodiversidade, uma ação educativa que visa sensibilizar os motoristas da cidade sobre o problema do atropelamento dos animais silvestres e divulgar o aplicativo de celular Sistema Urubu, desenvolvido pelo CBEE a fim de mapear as áreas com maior incidência de atropelamentos. A ação contou com o apoio da GCM e da Urbes – Trânsito e Transportes.

Outra ação foi um plantio de 56 árvores na Praça da Biodiversidade e numa praça ao lado, com o apoio de voluntário da Semana de Meio Ambiente “Meio Ambiente em Questão”, da Universidade de Sorocaba (Uniso).

O evento também contou com a exposição “Biodiversidade na Cidade” nas vias do entorno da Praça da Biodiversidade, com 13 totens educativos em alusão às espécies que habitam a cidade, em especial o rio Sorocaba, como o socó-dorminhoco, tabarana, cará, ratão-do-banhado, lobo-guará, paineira, entre outros.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias