Tags

A Prefeitura de Sorocaba, por intermédio da Secretaria da Administração (Sead), realizou na manhã desta terça-feira (1) a sessão de escolha de vagas para os candidatos aprovados no processo seletivo de Agente de Combate às Endemias.

O trabalho dos agentes será o de vistoriar casas localizadas em bairros com grande incidência de casos de doenças provocadas por animais e insetos, como o Aedes aegypti.

Foram convocados 104 candidatos, quatro deles pessoas com deficiência. Na sessão foram chamados 67 candidatos da lista geral, devido a desistência de 9 deles. Da lista de deficientes, houve uma desistência. Com a chamada dos outros três foram preenchidas as 60 vagas disponibilizadas neste primeiro momento.

No próximo dia 18, os novos funcionários apresentarão os exames médicos e a documentação estabelecidos pelo edital e, se estiverem dentro da determinação, assinarão o contrato. O vínculo empregatício tem início em 21 de março, quando começa o curso de formação, com duração de 40 horas. Durante cinco dias, de acordo com o diretor da Área de Vigilância em Saúde, Rafael Gonçalves Reinoso, os profissionais receberão instruções básicas acerca do Sistema Único de Saúde (SUS) e orientações sobre as endemias que serão combatidas por eles. No último dia do curso acontece novo processo de avaliação com base no treinamento; só serão incorporados ao trabalho aqueles que forem aprovados.

Primeiro colocado no processo seletivo, Roberto Carlos de Paula, 50, estava desempregado há um ano. Hoje, comemorou a contratação: “Sou formado em Processos de Produção, mas está muito difícil conseguir trabalho, mesmo que não seja na minha área. Estou muito feliz com a oportunidade”.

Durante os doze meses em que Walkyria Reina, 53, ficou sem trabalhar, seu investimento foi no aprimoramento profissional. A técnica em secretariado fez cursos em diversas áreas, mas, mesmo assim, não conseguiu recolocação no mercado de trabalho, até passar no processo seletivo para o emprego público. Além da oportunidade, ela aponta o serviço que será prestado à população como outro ponto positivo da vaga. “As pessoas não têm consciência de que devem tomar os cuidados devidos para prevenir a proliferação do mosquito da dengue. Vai ser bom fazer parte deste processo e ajudar no combate às doenças causadas pelo Aedes”, conta.

E, como quem tem que dar exemplo, a nova agente de combate às endemias garante que onde mora o mosquito não entra. “Coloquei tela em todas as janelas, na varanda e até nos ralos. Mesmo assim, semanalmente eu faço vistorias para ter certeza que não há água parada em lugar algum”, afirma a funcionária que dentro de mais alguns dias começa a colocar em prática novos conhecimentos que lhe permitirão sair às ruas, exercer sua profissão e seu papel de cidadã.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias