Tags

,

O secretário municipal da Saúde, Francisco Fernandes, estará em Brasília nesta quinta-feira (21) para reivindicar do Governo Federal investimentos, sobretudo, para a área de urgência e emergência médicas em Sorocaba.

Nesse sentido, uma reunião está agendada na Secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde (MS). Uma das cobranças será quanto ao repasse de R$ 3 milhões – parte que cabe à União – para a construção da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24 horas no Parque das Laranjeiras, cujo empreendimento está autorizado pelo prefeito Antonio Carlos Pannunzio.

“Com essa UPA Laranjeiras, podemos desafogar o atendimento nos Pronto-Atendimentos (PAs) Laranjeiras e São Guilherme. Mas dependemos desse dinheiro federal para iniciar a construção”, aponta o secretário. Outro pedido junto a Brasília é a habilitação da UPA do Éden, que já está credenciada no MS. Falta apenas esse reconhecimento para viabilizar o repasse federal mensal para manutenção da unidade, que começou a funcionar em agosto de 2015 e já promoveu a redução de 10% do atendimento do PA Laranjeiras e da Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Norte.

Aílton Ribeiro, diretor de Área de Administração da SES, acompanhará o secretário da Saúde na viagem à capital do Brasil. Ele frisa que o processo envolvendo a UPA do Éden está adiantado. “E há ainda trâmites para se conseguir autorização e transformar a UPH Zona Oeste em UPA, também a fim de garantir repasses federais, da ordem de R$ 200 mil ao mês, para ajudar a gerir essa unidade. O pedido já foi feito e resta a assinatura de documento por parte da União”, adianta. O que diferencia uma UPA de uma UPH é apenas o aporte de recursos federais, visto que seu protocolo de atendimento é o mesmo.

O secretário da Saúde lembra que o Município custeia 100% do atendimento local de urgência e emergência. Mais que isso, praticamente desde o início do atual governo Pannunzio, o número de atendimentos nessa área dobrou. A Prefeitura de Sorocaba também aguarda pela habilitação e qualificação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “É outro pleito que, concluído, assegura repasse anual de R$ 5 milhões à unidade. Ainda em janeiro, um representante do Ministério virá a Sorocaba para fazer a vistoria do Samu, como parte desse processo”, complementa Aílton.

O secretário Francisco Fernandes pontua que a prioridade da ida a Brasília será a questão de urgência e emergência médicas, mesmo assim outros assuntos também serão tratados junto aos representantes do MS. Entre eles, a liberação de financiamento do Programa “Requalifica”, pois há previsão de liberação de R$ 1,7 milhão para Sorocaba. “É dinheiro para ser aplicado na reforma das unidades de saúde da cidade. Precisamos ter uma certeza que ele virá. Não dá para assumir o começo das obras se não tivermos esse financiamento”, finaliza.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios