Tags

,

Dezenas de alunos da tradicional Escola Estadual “Professor Júlio Bierrenbach Lima”, do bairro de Santa Rosália, citada pelo Governo Alckmin como umas das unidades locais que passarão pela reorganização escolar prevista para a rede, deixando de atender o Ensino Médio, invadiram em forma de protesto a Diretoria de Ensino de Sorocaba, localizada no interior do histórico prédio do antigo Grupo Escolar “Antônio Padilha”, à rua Cesário Mota, no Centro, na manhã desta quarta-feira (11).

Com cartazes e faixas, os estudantes que solicitavam a presença do dirigente regional de Ensino, professor Marco Aurélio Bugni, adentraram o local junto com a representante da assessoria do deputado estadual Raul Marcelo (Psol), Fernanda Garcia, também conselheira do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), que afirma apoiar o movimento.

Por meio de interdito proibitório ajuizado no último dia 4, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) obteve uma liminar que impede a `ocupação’ das Diretorias de Ensino da Secretaria de Estado da Educação pela Apeoesp. Caso contrário, o Sindicato teria de pagar uma multa no valor de R$ 100 mil por prédio onde houvesse descumprimento da ordem. A Diretoria de Ensino de Sorocaba acionou de imediato a Procuradoria Geral do Estado para que entrasse com a ação.

De acordo com a coordenadora local da Apeoesp, Magda Souza, a Subsede de Sorocaba apoia toda manifestação de rua, porém afirma respeitar a liminar. “Sabemos que somos proibidos de entrar na Delegacia de Ensino. Quem entrou não foi a Apeoesp, porque não tinha nenhum representante nosso lá. Temos mais de 4 mil sindicalizados. Se responderem em nosso nome, será de uma forma não oficial”, declarou.

Sob pressão dos alunos que se aglomeraram no local, a vice-dirigente de Ensino, professora Vera Lúcia Provazi, atendeu cinco manifestantes. De acordo com a assessora do deputado estadual Raul Marcelo, Fernanda Garcia, durante a conversa surgiu a proposta de uma possível reunião com o dirigente de Ensino local amanhã, sexta-feira (13). “Os alunos pedirão uma resposta do porquê a Escola Bierrenbach deve ser reorganizada. Além disso, eles também colocaram sua opinião, afirmando não serem a favor do que está acontecendo. Teremos que ligar na Diretoria de Ensino na sexta-feira para conformar se acontecerá essa reunião ou não”, contou depois Fernanda.

PASSEATA CONGESTIONA O TRÂNSITO – A nova passeata contra a reorganização do ensino proposta pelo Governo do Estado começou por volta das 7 horas na Praça da Amizade, situada no Jardim Santa Rosália, em frente ao Estádio Municipal (CIC), e gerou grandes transtornos e congestionamento no trânsito quando os estudantes saíram pela avenida Dom Aguirre, `num horário bem crítico’, como reconheciam agentes da Urbes – Trânsito e Transportes, que acompanhavam a manifestação. O ato cruzou a rua XV de Novembro, seguindo pela avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, subindo depois em direção à praça Frei Baraúna (Fórum Velho), no Centro, com desfecho na Diretoria de Ensino.

Anunciada no dia 23 de setembro pelo secretário da Educação do Estado, Herman Voorwald, a reorganização da rede estadual, que atualmente conta com 5 mil escolas, deverá ter início no ano letivo de 2016. A nova medida prevê redução de unidades com três ciclos de ensino (1º ao 5º do Fundamental, 6º ao 9º do Fundamental e Ensino Médio), com o aumento do número de escolas com apenas um ciclo.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios