Tags

,

Uma suposta omissão de socorro, por parte de guardas civis municipais, gerou revolta no Terminal São Paulo, na tarde de ontem. De acordo com passageiros, uma adolescente teria desmaiado em frente ao posto da Guarda Civil Municipal (GCM), porém os agentes teriam se recusado a chamar a emergência.

Joaquim Moreno, que presenciou a cena, conta que a adolescente, de 17 anos, foi auxiliada por outra menor de idade, de 16, que a deitou em um banco. Ele teria solicitado aos guardas que ligassem para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas teria sido informado pelo agente que não havia aparelho de telefone na guarita. O guarda teria dito, ainda, que prestar este tipo de auxílio não era obrigação da GCM.

A adolescente foi levada à Unidade de Pré-Hospitalar da Zona Leste e, até o fim da tarde de ontem, permanecia no local passando por exames e sendo medicada.

A GCM afirmou, por nota, que a adolescente recebeu toda a atenção por parte dos guardas no local do incidente, sendo solicitada a presença de uma unidade do Samu, de imediato. Alega que os GCMs têm treinamento específico de pronto-socorrismo e que dispõem de equipamentos de comunicação que vão além de telefone fixo. Porém, fez questão de esclarecer que, mesmo diante do atendimento, não cabe à GCM a remoção de pessoas.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul