Tags

,

Engajados na missão de construir uma corrente com 1,5 milhão de assinaturas a fim de impor medidas de proteção à República, representante de várias entidades de Sorocaba e da região se reuniram na manhã desta terça-feira (22) na sede da Regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), localizada na avenida Eng. Carlos Reinaldo Mendes, no Alto da Boa Vista, para anunciar a adesão ao Movimento “10 Medidas Contra A Corrupção”, do Ministério Público Federal.

O Movimento, que conta com o apoio da própria Fiesp/Ciesp a nível estadual, por aqui, além de sua Regional, já tem a adesão das unidades do Sesi Sorocaba, Itu, Itapetininga e Tatuí, assim como do Senai Sorocaba, Alumínio e Itu. Aparecem na lista ainda a Subsecção de Sorocaba da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Sindicato da Construção (Sinduscon), Associação Comercial, Sebrae-SP, SindCont, Parque Tecnológico de Sorocaba, Inova, Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) do Ciesp Sorocaba e Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura local. As assinaturas devem ser recolhidas até o dia 30 de novembro, para que o projeto de lei possa tramitar pelo Congresso Nacional, segundo aponta o presidente da subseção local da OAB, Alexandre Ogusuku. “A ideia da adesão ao Movimento é conscientizar a população criando uma corrente. 1,5 milhão de assinaturas são o mínimo que temos que conseguir para que o projeto de lei comece a tramitar pelo Congresso, em Brasília. Essa pressão popular deve existir para que seja dado andamento ao projeto. Já temos centenas de assinaturas, mas nosso objetivo é quintuplicá-las”, afirmou ele por ocasião do lançamento do Movimento anti-corrupção a nível local.

Ogusuku ainda destacou que a intenção é criar um conceito de cultura para a população e mostrar o que é possível com a força do poder popular. “O povo se manifesta frente aos escândalos que vemos hoje e eu vejo isso com alegria. O que queremos nós podemos. É preciso mostrar que nós temos voz”, asseverou.

AS PROPOSTAS – As principais propostas apresentadas pelas entidades que aderem ao `Movimento Contra a Corrupção’ são estas: prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação; criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos; aumento das penas e crime hediondo para a corrupção de altos valores; aumento da eficiência e da justiça dos recursos no Processo Penal; celeridade nas ações de improbidade administrativa; reforma no sistema de prescrição penal; ajustes nas nulidades penais; responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa 2; prisão preventiva para assegurar a devolução do dinheiro desviado e recuperação do lucro derivado do crime.

O diretor titular do Ciesp Sorocaba, o empresário Antônio Beldi, retrata que a mentalidade do eleitor atualmente é preocupante. “O brasileiro não se preocupa e não dá importância de ser consciente ao voto. Sair na rua com trio elétrico ou reunir milhares de pessoas na `parada gay’ é muito fácil, mas fazer um movimento cívico, onde você carrega 10 ou 20 mil, é muito. É preciso lutar pelo que você acredita. A população só acorda quando algo é tirado deles”, manifestou-se ontem Beldi também. Aliás, para toda a diretoria do Ciesp Sorocaba, a mobilização é muito importante principalmente neste momento de crise em que o País se encontra e o objetivo das entidades ao aderir a este Movimento é a união da sociedade em prol de uma causa que é de todos.

A procuradora do Ministério Público Federal em São Paulo, Janice Ascari, explicou que as assinaturas têm de ser coletadas em papel, acompanhadas pelo número do CPF e do título de eleitor das pessoas que apoiarão o projeto. As empresas e entidades interessadas em colher assinaturas podem entrar em contato com o próprio Ciesp Sorocaba, pelo telefone (15)4009.2900 ou pelo site ciespsorocaba.com.br.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios