Tags

,

Dos 26 municípios que compõem a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), apenas cinco são considerados de muito baixa vulnerabilidade social, conforme o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que lançou na terça-feira (1º) o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS).

Estas cinco cidades – Boituva, Cerquilho, Jumirim, Tatuí e Tietê – representam 20% de toda a RMS. O resultado da pesquisa consta na publicação do Ipea chamada de Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, que analisa as 5.565 cidades do País.

De acordo com Instituto, a vulnerabilidade social aponta a ausência ou insuficiência de alguns ativos, recursos ou estruturas, como fluxo de renda, condições adequadas de moradia, acesso a serviços de educação, entre outros, que deveriam estar à disposição de todo cidadão, promovendo condições de vida e de inserção social favoráveis. Essas situações também decorrem de processos sociais amplos, contra as quais o indivíduo, por si só, não tem meios para agir. Assim, apenas o Estado, por meio de políticas públicas, tem condições de alterar.

O IVS é composto por 16 indicadores estruturados nestas três dimensões: Infraestrutura Urbana, Capital Humano e Renda e Trabalho. O índice varia entre 0 e 1. Quanto mais próximo a 1, maior é a vulnerabilidade social de um território; quanto mais perto de 0, menor a vulnerabilidade social. Para os municípios que apresentam IVS entre 0 e 0,200, considera-se que possuem muito baixa vulnerabilidade social. Valores entre 0,201 e 0,300 indicam baixa vulnerabilidade.

Aqueles que registram IVS entre 0,301 e 0,400 são de média vulnerabilidade social, ao passo que, entre 0,401 e 0,500, são considerados de alta vulnerabilidade. Qualquer valor entre 0,501 e 1 indica que a cidade possui muito alta vulnerabilidade social. O IVS foi calculado para os anos de 2000 e 2010, a partir de indicadores disponíveis na plataforma do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, os quais, por sua vez, foram gerados com dados dos Censos Demográficos do IBGE.

CIDADES – Na escala do ano 2000 a 2010, entre as cidades que apresentaram muito baixa vulnerabilidade social na RMS, destacam-se Tatuí, Tietê e Boituva, que deixaram a classificação de baixa vulnerabilidade. Jumirim e Cerquilho mantiveram-se na lista dos de muito baixa vulnerabilidade. Outros municípios que chamam a atenção, devido ao salto nas classificações, são Capela do Alto, Iperó, que passaram de alta para baixa vulnerabilidade.

REGIÃO – Dos municípios que fazem limite com Sorocaba, seis avançaram em uma classificação da escala do IVS. Porto Feliz, Votorantim, Mairinque, Araçoiaba da Serra e Alumínio saíram da média e passaram a ser de baixa vulnerabilidade social e Salto de Pirapora de alta para média. A cidade de Itu permaneceu como de baixa vulnerabilidade e Iperó avançou de alta para baixa.

SOROCABA – A cidade passou de média para de baixa vulnerabilidade. Entre as especialidades abordadas no levantamento, 2,94% das mulheres de 10 a 17 anos tiveram filhos no ano 2000; já em 2010, esse dado caiu para 1,52%. Em 2000, o índice de crianças em domicílios em que ninguém tem Ensino Fundamental completo correspondia a 29,08%; em 2010, esse dado passou para 12,08%. A taxa de analfabetismo, em 2000, de pessoas com 15 anos ou mais era de 4,66; em 2010, caiu para 3,10. A mortalidade infantil passou de 17,20 para 13,43.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios