Tags

,

O vereador Rodrigo Manga (PP) foi nomeado presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar repasses de recursos para entidades assistenciais conveniadas com a Prefeitura Municipal.

O vereador Marinho Marte (PPS) será o relator da CPI, que também é composta pelos vereadores Pr. Luis Santos (Pros), José Crespo (DEM), Irineu Toledo (PRB), e da bancada do PT, composta por Izídio de Brito, Francisco França e Carlos Leite.

Antes da criação da comissão, Manga já havia apresentado um requerimento para a convocação da vice-prefeita Edith Di Giorgi e o diretor da área de Suporte e Gestão da Sedes, Márcio Gomes Sousa, para a prestação de depoimentos.

O principal objetivo da CPI é entender quais os critérios e quem define quais entidades devem receber o repasse da Prefeitura. “Queremos garantir que cada centavo aplicado pela Prefeitura às entidades assistenciais seja realmente usado na prestação de serviços que competem a cada uma delas”, definiu Manga.

A CPI investigará quais os critérios usados para a definição das entidades que recebem a verba da Prefeitura, porque duas entidades que prestam o mesmo serviço não recebem o mesmo valor, se o dinheiro público é realmente destinado ao fim proposto pelas entidades, se os serviços sociais atendem de maneira efetiva aos que precisam deles e, ao fim das investigações, garantir que mais entidades sejam conveniadas e prestem serviços à população vulnerável da cidade.

Para o vereador Marinho Marte a CPI é muito importante para esclarecer as muitas dúvidas que giram em torno do repasse da subvenção às entidades. “É hora de passarmos a limpo essa situação das entidades e os repasses”, afirmou ele. Já o vereador Irineu Toledo enfatizou que ninguém deverá sair prejudicado. “Não estamos acusando ninguém, estamos investigando”, enfatizou.

Segundo o vereador Manga, o próximo passo será definir quem serão os primeiros convocados a prestar esclarecimentos à CPI. “Com as investigações, as entidades só têm a ganhar, assim como a população que precisa delas”, concluiu Manga.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba