Tags

,

Os eleitores que não votaram ou não justificaram ausência nas três últimas eleições devem regularizar sua situação eleitoral para não correr o risco de ter o título cancelado.

De acordo com Laurinda de Negreiros, chefe de cartório do 137ª Zona Eleitoral de Sorocaba, na cidade há 7.746 pessoas nessa situação.

“Lembrando que cada turno é considerado como uma eleição”, ressalta. O prazo para a regularização do título segue até o dia 4 de maio.

Laurinda diz que para regularizar a situação com o Cartório Eleitoral, a pessoa deve comparecer ao cartório de inscrição com documento de identidade com foto e o título eleitoral. Será gerado um boleto com o valor das multas no valor de R$ 3,51 por turno, que deve ser pago no banco. “A pessoa não pode esquecer de voltar ao cartório para apresentar o comprovante de pagamento. Só depois disso que a pendência será regularizada”, frisa.

Caso o eleitor não compareça ao cartório eleitoral até o dia 4 de maio para comprovar o exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes terá o título cancelado automaticamente. Laurinda destaca que o título cancelado priva as pessoas de algumas atividades, como obter passaporte, ingressar em faculdades, realizar empréstimos e realizar concursos públicos.

Problema de energia

As chuvas da última terça-feira também prejudicaram os cartórios eleitorais de Sorocaba. Durante terça e quarta-feira, os cartórios ficaram sem energia suficiente para ligar computadores e equipamentos para atender os eleitores. A chuva provocou a queima de um fuzil de energia externa. Segundo Laurinda, durante esse período, vários eleitores foram embora sem serem atendidos.

A estudante Bruna Duarte Elias Lemes, de 19 anos, compareceu duas vezes ao cartório ontem, mas não conseguiu tirar o título de eleitora. Segundo funcionários do cartório eleitoral, o problema foi solucionado na tarde de ontem, por volta das 15h30, quando funcionários da CPFL Piratininga compareceram ao local para realizar a troca dos fuzis de um poste de energia.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul