Tags

,

O vereador Carlos Leite (PT), presidente da CPI do Saae, concedeu uma entrevista coletiva agora a pouco e fez um balanço da oitiva que a CPI realizou em Brasília, na última segunda-feira, 1, com o sócio-proprietário da empresa ECL Engenharia, Sabino de Freitas.

O Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) acusa a empresa de ter abandonado obras em Sorocaba e recebido R$ 10 milhões de reais a mais do que os serviços que foram efetivamente realizados.

O engenheiro Sabino refutou todas as acusações e disse que, na verdade, é o Saae quem deve para a empresa.

Além disso, Sabino acusou a autarquia de ter determinado que a empresa realizasse serviços sem contratos, pagando tais serviços com aditivos a contratos de outros empreendimentos.

O Saae alega que a ECL abandonou, sem aviso prévio, as obras da Estação de Tratamento de Água do Cerrado, construção do Coletor Tronco do Rio Pirajibu, e da Estação de Tratamento de Esgoto de Aparecidinha.

A ECL diz que pediu a rescisão do contrato porque a liberação das obras estavam com mais de um ano de atraso, e mesmo assim, manteve funcionários nas construções por vários meses.

O Saae e a ECL estão em uma briga judicial para determinar quem deve para quem, se houve pagamentos a mais, e como tais pagamentos foram possíveis, uma vez que eles só aconteceriam após as medições das obras feitas por engenheiros do próprio Saae.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba